Saúde

Novembro azul: mitos e verdades sobre câncer de próstata e fertilidade do homem

Até o final deste ano, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), 68 mil pessoas devem ser diagnosticadas com o câncer de próstata

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Durante o mês de novembro, as campanhas de conscientização sobre os cuidados da saúde do homem são intensificadas. Até o final deste ano, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), 68 mil pessoas devem ser diagnosticadas com o câncer de próstata. Para falar sobre este assunto, o urologista Joseph Monteiro, elencou as principais dúvidas dos pacientes em suas consultas de rotina. Descubra o que é mito e o que é verdade:

  • Preocupação com exames para avaliação de próstata (VERDADE)

"É uma das principais preocupações dos pacientes em uma consulta de rotina com os urologistas devido às diversas campanhas veiculadas na mídia ao longo dos anos, como por exemplo, o Novembro Azul".

  • Os exames preventivos ainda são um tabu (MITO)

"Na minha avaliação, as campanhas de conscientização contribuíram para aceitação dos pacientes que, entre 40 a 50 anos, já reconhecem com naturalidade a necessidade do exame".

A incontinência urinária, disfunção erétil e infertilidade estão entre os principais efeitos colaterais da cirurgia para retirada do câncer de próstata (VERDADE)

"Esses efeitos podem ocorrer porque o tratamento cirúrgico apesar da evolução da técnica traz sequelas  inerentes à sua realização como por exemplo, a falta de ejaculação ou as particularidade da anatomia de região que concentra estruturas de difícil identificação. Lesões mínimas podem levar grande prejuízos à capacidade de ereção do homem, como as bandas neurovasculares da próstata".

  • A doença só atinge homens a partir dos 50 anos (MITO)

"Apesar da doença ser mais frequente a partir dos 50 anos, existem casos diagnosticados em homens abaixo de 45 anos. Isso acontece porque  o avanço da idade é o principal fator de risco associado ao surgimento do câncer de próstata , apesar da causa desta relação ainda não estar completamente esclarecida".

  • Homens que realizaram a cirurgia para retirada do câncer de próstata não podem mais ser pais (MITO)

"Caso o paciente apresente desejo de ter filhos após cirurgia, recomenda-se o processo de reprodução assistida por meio da fertilização in vitro. O especialista faz a coleta de espermatozoides diretamente do órgão reprodutor (epidídimo ou testículo). Já nos casos em que  o paciente precisa ser submetido à radioterapia antes do procedimento cirúrgico, recomenda-se o procedimento de congelamento de sêmen para que, posteriormente a cura total do câncer de próstata, o paciente recorra às técnicas de fertilização".