Saúde

Nutricionista explica o que você deve evitar comer à noite

De acordo com a nutricionista Vanessa Azevedo, alguns alimentos devem ser evitados nas últimas refeições do dia, pois o nosso metabolismo trabalha de forma mais lenta pela noite

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em


Investir em alimentação saudável também é sinônimo de saber o que não colocar no prato. De acordo com a nutricionista Vanessa Azevedo de Jesuz, alguns alimentos devem ser evitados nas últimas refeições do dia, pois o nosso metabolismo trabalha de forma mais lenta pela noite, principalmente perto da hora de dormir.

Em entrevista ao Taeq, a nutricionista explicou que o corpo pode sofrer com má digestão, pondendo gerar insônia e até problemas mais sérios. Por isso, o ideal é apostar em comidas mais leves. Vanessa Azevedo de Jesuz também fez uma lista de alimentos para evitar no jantar e os motivos. Confira:

Foto: chabybucko/Thinkstock/Getty Images
Carnes vermelhas: elas são ricas em proteínas, que não são devidamente digeridas com o metabolismo mais lento que o organismo tem durante a noite. "Como a carne vermelha demora mais tempo para fazer digestão, o ideal é evitar e dar preferência para carnes mais leves, principalmente o peixe", aconselhou Vanessa.

Café, refrigerante e mate: qualquer alimento com cafeína na composição deve ser evitado no jantar, pois eles funcionam como estimulantes.

"O ideal é consumir cafeína até 16h da tarde para não ter interferência no sono", recomenda a nutricionista. No entanto, ela explica que também existem exceções. "Algumas pessoas não têm essa sensibilidade à cafeína e conseguem suportar a dose noturna sem que ela interfira na hora de dormir".

Alimentos gordurosos e embutidos: batata frita, ovos, salame, presunto e outros alimentos dessa categoria, além de não serem tão nutritivos, podem causar desconforto e até acúmulo de gordura (devido o metabolismo ser mais lento à noite).

Doces: alimentos ricos em açúcar podem prejudicar a qualidade do sono, pois eles causam alteração na glicemia e isso pode fazer com que você tenha um sono agitado.



Fonte: Vanessa Azevedo de Jesus - graduada e mestre em Nutrição pela Universidade Federal Fluminense (UFF)
CRN 4 14100131