Saúde

Pandemia: 75% das empresas brasileiras se preocuparam com saúde mental dos funcionários

Funcionários passaram a render menos por questões como medo, problemas financeiros e solidão

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Após um ano de pandemia, é possível afirmar que o novo coronavírus “bagunçou” a economia, as relações, o trabalho... Todas essas mudanças fizeram com que duas palavrinhas, que nunca tinham sido tratadas com tanta importância, entrassem em pauta: a saúde mental. 

Com o cenário caótico mundial e a implementação do home offices, as empresas passaram a se atentar mais para o bem estar de seus funcionários. Elas perceberam que o cumprimento de metas havia diminuído e que a qualidade do trabalho também havia sido afetada. 

Segundo a pesquisa Gestão de Pessoas na Crise de Covid-19, da Fundação Instituto de Administração (FIA), 75% das empresas no Brasil desenvolveram iniciativas para cuidar da saúde mental dos seus colaboradores. A preocupação tem fundamento, já que o vírus traz consigo questões delicadas como o luto, a solidão, a insegurança financeira e o medo de ficar doente. 

“Em momentos como esse que estamos passando, em que a solução está fora do nosso controle, é normal que o pessimismo e o medo tomem conta dos pensamentos. Durante episódios assim, é necessário - mais do que nunca - cuidar da saúde mental, tanto sua como a de pessoas próximas a você. Contar com o auxílio profissional nessas horas é fundamental e as empresas perceberam isso a tempo de ajudarem seus colaboradores", afirma Bruno Haidar, cofundador da OrienteMe, uma plataforma de psicoterapia online voltada para empresas.  

  • Boas práticas para melhorar a saúde mental no trabalho 

A empresa que se preocupa com a saúde mental de seus colaboradores, deve se atentar a alguns pontos e oferecer benefícios e suporte de serviços à saúde. Isso é importante, pois as questões financeiras são algumas das razões que fazem com que os funcionários não procurem ajuda. 

Além disso, é importante criar maneiras de reconhecer o esforço dos colaboradores, pois grande parte da desmotivação de um trabalho é causada pela falta de reconhecimento. Reconhecer o valor deles por meio de feedbacks positivos, brindes ou até bônus em dinheiro é um gesto de ajuda. 

É importante também investir na comunicação entre colaboradores e gestores, pois quando ela é arbitrária, profissionais tendem a se frustrar e construir relações tóxicas nas empresas. Porém, quando é construída uma boa relação, ela pode ser um primeiro passo para a conversa sobre saúde emocional e a busca por ajuda.