Saúde

Pegou covid? Saiba como usar a alimentação a seu favor durante recuperação

O iBahia conversou com a nutricionista Priscilla Santos de Lima para trazer dicas de alimentação que ajudam na prevenção e recuperação da doença

Carlos Bahia* (carlos.filho@redebahia.com.br)

A manutenção da saúde e da imunidade alta é prioridade global atualmente. Com a pandemia do Covid-19, as pessoas estão buscando as melhores formas de se manterem saudáveis e distantes da doença, que já atingiu mais de 13 milhões de pessoas  no mundo e que teve o recorde de novos casos no último domingo (12), segundo a OMS. A alimentação pode ser grande aliada nessa luta pela saúde. Por isso, o iBahia conversou com a nutricionista Priscilla Santos de Lima,  que explicou como as escolhas alimentares ajudam nosso corpo a funcionar bem. 

"Os alimentos atuam de maneira preventiva e também curativa, podendo auxiliar na melhora da saúde do indivíduo e na recuperação de diversas doenças", ressalta a especialista. 

Segundo Priscilla, a alimentação é um dos fatores a se levar em conta para se prevenir, não só do covid-19, mas também de outras doenças oportunistas. "É preciso adotar medidas preventivas com hábitos diários, como beber no mínimo dois litros de água por dia, não descuidar do sono e da alimentação equilibrada na quarentena, além de buscar evitar o estresse e a ansiedade", explica a nutricionista, que ressalta também o perigo no abuso do álcool durante o período. "Esse exagero pode afetar a manutenção da imunidade e se tornar uma porta aberta para doenças".

Estou com Covid-19. E agora?

Uma vez infectado, o paciente deve continuar os cuidados com a alimentação dentro de casa, caso não precise de internação. Segundo Priscilla, vale evitar alimentos industrializados e investir em comida "de verdade". "Arroz, feijão, carnes, saladas verdes, temperadas com temperos naturais, como o alho, orégano e cebola. Esses são ingredientes que auxiliam na manutenção da saúde", diz a especialista. A nutricionista sugere também alimentos como grãos, raízes, tubérculos, legumes, verduras, frutas, castanhas, leite, ovos e carnes, que são fontes de nutrientes importantes para a defesa imunológica.

Ela também ressalta a importância da higienização dos alimentos antes da utilização, e sugere uma forma de garantir essa limpeza: "Lavar adequadamente os alimentos crus e colocá-los de molho em uma mistura de água e hipoclorito de sódio ou água sanitária (uma colher de sopa do produto na concentração de 2,0% ou 2,5% - ou duas colheres de sopa de hipoclorito na concentração de 1% - para cada litro de água). Os alimentos devem ficar imersos nesta solução por dez minutos e depois serem enxaguados com água filtrada", aconselha.

Depois de curado, seguem os cuidados?

Segundo Priscilla, sim. A nutricionista ressalta que há individualidades em cada dieta adotada, de acordo com o tratamento pelo qual a pessoa passou. "É a hora de investir em uma alimentação mais equilibrada, que supra as necessidades diárias e que auxilie na possível eliminação natural de toxinas, caso o paciente tenha feito uso de medicamentos prescritos por médicos", explica. "Uma alimentação mais natural terá poder detoxificante e isso vai contribuir com o equilíbrio do organismo pós doença", completa a nutricionista.

Cuidado com o que ouve por aí

A busca por bons hábitos de saúde são importantes, mas devem ser procurados através de especialistas no assunto. "Receitas divulgadas sem qualquer respaldo científico, além de serem falsas, podem trazer malefícios ao indivíduo que busca estar saudável. A verdade é que nenhum chá, ou água com alho, ou qualquer outra combinação isolada é capaz de prevenir o coronavírus", enfatiza.

A especialista ainda sugere uso de alimentos como o gengibre, que pode ajudar em dores de garganta, e a cúrcuma, que segundo ela, funciona como anti-inflamatório.

Fonte: Priscilla Santos de Lima - CRN5 8923

*Sob supervisão da repórter Lívia Oliveira