Saúde

Pessoas com 'histórico de reação alérgica' não devem tomar vacina da Pfizer, diz agência

Agência regulatória alerta que pessoas com 'histórico de reação alérgica significativa' não devem contra Covid-19

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A agência regulatória do Reino Unido alertou nesta quarta-feira (9) para o fato que 'pessoas com histórico de reação alérgica significativa' a vacinas, remédios ou alimentos não devem tomar a vacina da Pfizer contra covid-19. De acordo com o órgão, houve dois casos de reações alérgicas de pessoas ao imunizante, mas elas passam bem.

No comunicado, a agência afirmou que classifica como reações alérgicas significativas aquelas semelhantes à anafilaxia (um tipo de alergia grave e fatal) e recomendou que as pessoas que tomem imunizante levem consigo uma adrenalina autoinjetável. Além disso, foi determinado que a vacinação deverá ser realizada em locais onde houver possibilidades de reanimação dos pacientes.

De acordo com o jornal 'The Guardian', o diretor médio do NHS, serviço público de saúde britânico, Stephen Powis, afirmou que "como é comum com as novas vacinas, a MHRA aconselhou, por precaução, que pessoas com histórico significativo de reações alérgicas não recebam esta vacina".


A recomendação foi feita pela agência após duas pessoas com histórico de reações alérgicas significativas responderam negativamente ontem. Ambas estão se recuperando bem", disse o diretor médico.