Saúde

Por que as pessoas deveriam preferir frutas e verduras orgânicas?

A busca e preferência por frutas e verduras orgânicas está em constante crescimento

Redação Dino

Diversos estudos científicos foram realizados para descobrir como algumas técnicas usadas na agricultura moderna, como os agrotóxicos e os fertilizantes, poderiam afetar a saúde humana e contribuir para o desequilíbrio do meio ambiente.

Os resultados foram difundidos popularmente e o número de pessoas que passou a questionar a forma como os alimentos comprados em supermercados comuns são produzidos aumentou nos últimos anos.

Nesse cenário, a busca e preferência por frutas e verduras orgânicas está em constante crescimento. Mas, quanto ao alimento orgânico: quais são os seus benefícios para a saúde e para o meio ambiente?

Foto: reprodução
O que é agricultura orgânica?
Os dois principais fatores que se destacam na agricultura orgânica são suas preocupações com o cultivo sustentável e a busca por alimentos que apresentam maior qualidade em relação aos convencionais.

Para isso, não são admitidos o uso de fertilizantes químicos ou substâncias agrotóxicas. Ao contrário, os métodos de fertilização devem ser orgânicos e qualquer tipo de organismo geneticamente modificado é dispensado.

Todo esse esforço tem como objetivo garantir que as frutas e verduras que chegam ao consumidor final sejam tão saudáveis quanto possível e livre de contaminantes sintéticos, além de proteger os ecossistemas naturais.

Por que as pessoas deveriam dar preferência aos alimentos orgânicos?

Qualidade nutricional
Os benefícios de dar preferência aos alimentos orgânicos não se restringem apenas à questão socioambiental, já que esse tipo de legumes e verduras também apresenta qualidade superior em termos nutricionais.

Alguns tipos de alimentos orgânicos têm maior concentração de nutrientes e vitaminas. Entretanto, é importante ressaltar que nem todas as frutas e verduras demonstram qualidade superior significativa.

Todavia, mesmo nesses casos, os benefícios indiretos já mencionados ainda pesam como fatores expressivos para um consumo mais consciente.

Sustentabilidade
A compra do pequeno produtor, que ainda representa a maior fatia no mercado brasileiro quando se trata de agricultura orgânica, por exemplo, também se torna uma questão ética e social.

Além disso, como já mencionado, a preservação das características do solo, que são possibilitadas pela adubação verde, a rotação de cultura e a compostagem, faz a preferência por alimentos orgânicos se tornar uma atitude mais consciente perante o consumo.

No entanto, na agricultura convencional, haja vista a necessidade de exportar grandes quantidades de alimentos, o descarte inadequado de resíduos de agrotóxicos contribui para contaminar recursos hídricos e interferir nos biogeoquímicos naturais.



Saúde
Outro ponto que merece destaque é o lugar que o Brasil ocupa mundialmente no que diz respeito ao uso de agrotóxicos. Muito além do uso indiscriminado e da legislação frágil, está a contaminação de trabalhadores rurais e taxas maiores que as recomendadas de aditivos no produto final.

Dessa maneira, os riscos de consumir frutas e verduras contaminadas são significativos, pois não há uma fiscalização rígida. Nessas situações, os prejuízos para a saúde no longo prazo são preocupantes.

Intoxicações graves, possibilidade de desenvolvimento de alergias, maiores chances de surgimento de cânceres, danos no sistema hepático e biliar, vômitos e náuseas são apenas alguns dos riscos que a acumulação de agrotóxicos representa para a saúde humana.