Saúde

Quer reduzir os inchaços? Especialista ensina como fazer automassagem

"Ela pode ser feita quantas vezes forem necessárias, usando o creme de hidratação ou o óleo corporal favorito", explica Renata França

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

Com o isolamento social, por causa da pandemia do novo coronavírus, muitas pessoas têm deixado de lado os cuidados com a alimentação e consumindo muitos produtos industrializados. Esse hábito pode contribuir para a retenção de líquido e, consequentemente, inchaço no corpo. Renata França, criadora da massagem Miracle Touch, garante que a automassagem pode ser uma aliada na redução do inchaço. A técnica também melhora a circulação sanguínea e auxilia na sensação de bem-estar. 

Renata recomenda a realização de sessões regulares da técnica Miracle Touch, que podem ser realizadas em casa. “Desenvolvi os movimentos da Automiracle pensando em como poderia levar minha técnica para dentro da casa das pessoas. Ela pode ser feita quantas vezes forem necessárias, usando o creme de hidratação ou o óleo corporal favorito”, acrescenta. 

Aprenda como fazer automiracle 

1. Com as mãos espalmadas, faça a abertura dos gânglios cervicais, acima da clavícula, para descongestionar as vias.

2. Ainda com as mãos espalmadas, faça um movimento de bombeamento na axila oposta e repita três vezes em cada lado. Isso desobstruirá os gânglios axilares e mamários.

3. Envolva o braço com a mão e a deslize do cotovelo ao ombro com uma pressão firme e contínua. Repita cinco vezes em cada braço.

4. Posicione os dedos indicador e médio acima da fossa cubital, aquela oposta ao d cotovelo, e pressione três vezes em cada lado.

5. Envolva o antebraço com a mão e a deslize do punho à fossa cubital. Repita três vezes em cada braço.

6. Para trabalhar os gânglios do abdômen, posicione as duas mãos na barriga, deixando os dedos encaixados acima dos ossos dos quadris e o polegar para dentro. Pressione suavemente por três vezes.

7. Com uma mão sobre a outra, faça movimento circulares ao redor do umbigo, com pressão firme, em sentido horário, e repita três vezes. Essa manobra auxilia o intestino a funcionar melhor.

8. Ainda com as duas mãos na barriga, aperte a gordura, em movimento de amassamento. Faça isso do lado direito para o esquerdo, levando a parte segurada para baixo. Não esqueça das laterais!

9. Como se fossem beliscões, faça movimentos de pinçamento por toda a barriga. Isso vai aumentar o fluxo sanguíneo e estimular a queima de gordura na região.

10. Com os dedos para baixo, posicione as mãos espalmadas na cintura e deslize-as até o meio da barriga, onde estão localizados os ductos torácicos.

11. Na sequência, continue o movimento anterior e finalize descendo as mãos e pressionando a barriga até abaixo do umbigo. Repita por cinco vezes.

12. Envolvendo a cintura com as mãos, junte-as até que se cruzem no centro do abdômen. A pressão deve ser firme. Repita por quatro vezes.

13. Com as duas mãos, segure os flancos (aquela gordurinha na lateral da cintura) e faça manobras de amassamento. Repita do outro lado.

14. Posicione os indicadores na virilha e pressione três vezes para ativar os gânglios inguinais da região.

15. Envolva a coxa com as duas mãos e faça um movimento de deslizamento ascendente – do joelho à virilha. Repita por três vezes.

16. Deslize os punhos fechados pela coxa, em movimento ascendente, até contornar o glúteo. Essa manobra ajuda a levantá-lo e melhora a textura da pele. Repita por três vezes.

17. Pegue a parte interna da coxa e faça movimentos de amassamento, pinçando a gordurinha do joelho até a virilha.

18. Espalme as mãos na parte externa da coxa e deslize-as até o meio da perna.

19. Coloque a mão na parte de trás do joelho e bombeie por três vezes.

20. Deslize as mãos do tornozelo ao joelho quantas vezes achar necessário. Esse movimento ajuda a combater a retenção de líquido da canela e da panturrilha.

Não sabe como identificar a retenção de líquidos? “Para saber se está com retenção de líquido, basta pressionar o dedo em determinada região do corpo. Se ficar uma marca mais profunda, pode-se designar inchaço”, orienta Renata.