Saúde

Quer ter filho e não consegue engravidar? Entenda o que pode está acontecendo

Vários motivos podem dificultar a gravidez de forma natural, desde a baixa quantidade de espermatozoides e problemas no útero da mulher até simples costumes do cotidiano

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O desejo de ser pai e mãe nem sempre é suficiente para fazer o sonho de ter um "herdeiro" se realizar. Vários motivos podem dificultar a gravidez de forma natural, desde a baixa quantidade de espermatozoides e problemas no útero da mulher até simples costumes do cotidiano. Pedro Monteleone, ginecologista e obstetra creditado pela Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA), listou 6 fatores que contribuem ou prejudicam o processo de fertilidade natural, tanto na mulher como no homem. Confira:

Foto: Reprodução / Think Stock/Getty Images

1. Consumo de álcool:
o ideal é consumir apenas duas ou três doses por semana. Superior a essa quantidade afeta a fertilidade e traz problemas na gravidez.

- No homem: O consumo habitual, mesmo que em doses médias, pode trazer prejuízo ao desempenho sexual do homem como para a espermatogênese - produção de espermatozoides.

- Na mulher: Consumido em grandes doses afeta a formação do bebê aumentando o risco de malformações, síndrome de abstinência pelo recém-nascido e no período final da gestação, com maior incidência de sofrimento fetal e aumento do período de latência na fase final do parto.

2. Tabagismo:


- No homem: o tabagismo piora a qualidade reprodutiva. Mesmo após interromper o uso do cigarro, o fertilidade só normaliza com alguns meses. Pois, o ciclo da produção dos espermatozoides leva de 45 a 60 dias.

- Na mulher: segundo estudos, há maior número de inférteis entre as fumantes em comparação às não-fumantes; parece ocorrer uma perda maior de óvulos em fumantes e uma antecipação da menopausa de até 4 anos; o tabagismo traz danos ao DNA durante a formação dos óvulos, o que aumenta o risco de mutações; o uso de cigarro também causa  alterações na função das trompas predispondo a maior incidência de gravidez tubária e; há uma maior taxa de abortos.

3. Uso de drogas ilícitas:

- No homem: o uso frequente gera disfunção erétil e a piora progressiva da qualidade do sêmen.

Na mulher: a elevação do hormônio prolactina em usuárias de cocaína e crack influencia o ciclo menstrual, causando irregularidade e prejuízo à fertilidade.

4. Controle de peso:

- No homem: o sobrepeso do homem causa a queda da fertilidade, afeta a questão hormonal e também anatômica. O aumento da pressão da cavidade abdominal pode causar dificuldade no retorno venoso sistêmico, contribuindo para aparição da varicocele. A doença pode afetar a produção de espermatozoides e diminuição da qualidade do esperma, levando à infertilidade.

- Na mulher: o excesso de peso causa ciclos menstruais irregulares associados à disfunção ovulatória.

5. Uso de medicamentos: Qualquer medicação na fase pré-concepcional deve ser informada ao médico que acompanha o casal. É contra-indicado o consumo de medicamentos sem prescrição médica.

- No homem: existem medicações que são espermatotóxicas, isto é sua administração afeta a qualidade do espermatozoide, em geral, em doses excessivas.

- Na mulher: medicações que tratam dos distúrbios de humor também podem afetar a libido tanto do homem como da mulher, principalmente em uso contínuo.

6. Idade

- No homem: a infertilidade ocorre a partir dos 50, quando pode diminuir a qualidade e quantidade do sêmen.

- Na mulher: após os 35 anos, o risco da diminuição da fertilidade é evidente.