Saúde

Saiba como evitar a amputação do pênis

Todos os anos, cerca de 1600 homens precisam ser amputados parcial ou totalmente no Brasil por causa do câncer no membro

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

A falta de higiene, tanto para o homem quanto para mulher, pode acarretar em inflamações e irritações na área genital, que vão desde coceiras até infecções graves por fungos e bactérias. Em casos ainda mais críticos, os homens correm o risco de desenvolver câncer de pênis.

De acordo com dados do comitê científico do Instituto Lado a Lado pela Vida, todos os anos cerca de 1600 homens precisam amputar parcial ou totalmente o pênis no Brasil por causa do câncer no membro.

Foto: reprodução / iStock/Getty Images
Para ajudar a evitar o problema,  Aguinaldo Nardi, urologista e membro do comitê científico do Instituto Lado a Lado pela Vida, separou três dicas de higiene básica para os homens.

1 – Puxe o prepúcio

Segundo o urologista, a limpeza envolve puxar o prepúcio até o aparecimento total da glande. “Passe água com espuma de sabão ou sabonete sobre a superfície da mucosa e/ou pele suavemente, até sair toda a camada de gordura acumulada".

Essa gordura, damos o nome de esmegma. Ela é uma secreção branca composta de células descamadas da pele e óleos produzidos por glândulas penianas, e precisa ser retirada completamente para que seja afastado o risco de proliferação de bactérias e fungos no local.

2 – Tome banho depois do ato sexual

Este é um ponto importante destacado pelo médico: a limpeza adequada do pênis depois do ato sexual, pois ela ajuda a remover resíduos de sêmen e excesso de lubrificante do preservativo. A higiene também serve para retirar o muco da lubrificação natural da mulher junto com resíduo de secreção espermática após a ejaculação, já que ambos são ricos em substâncias que servem como meio de cultura para bactérias e fungos.

3 – Use preservativo em qualquer relação sexual

O uso de preservativos em qualquer relação sexual é fundamental. Essa atitude previne contra o vírus HIV e as demais doenças sexualmente transmissíveis, como HPV, herpes genital, gonorreia, hepatite B e C e sobretudo sífilis, doenças que vem apresentando aumento no número de ocorrências no Brasil, acompanhando uma tendência mundial.


Câncer de pênis

Os fatores de risco para o desenvolvimento do câncer envolvem a fimose, o acúmulo de esmegma (secreção branca resultante da descamação celular) e principalmente a falta de orientação com a higiene.

"Os homens precisam ficar de olho na aparição de manchas, verrugas, úlceras e feridas no pênis. Quanto antes for diagnosticado, maiores são as chances de sucesso no tratamento e da não remoção do pênis”,  orientou Nardi.