Saúde

Saiba como se cuidar no carnaval para não ficar doente depois

Cidades como Salvador costumam receber muitos turistas nesta época do ano, o que aumenta risco de contágio de doenças

Revista ABM

O carnaval é um período em que precisamos ter cuidados redobrados com a saúde. Além dos dias quentes e altas temperaturas, é um período que, cidades como Salvador, por exemplo, dobram o número de pessoas devido à população flutuante que chega na cidade. É muita gente junta respirando, tossindo, falando e eliminando gotículas de saliva, se aglomerando e compartilhando espaços.

De acordo com a infectologista Ana Paula Gomes Alcântara todas estas vias são transmissões de doenças respiratórias e do trato gastrointestinal. “As infecções virais, na sua grande maioria, se disseminam de pessoas para pessoas através das secreções respiratórias e do contato das mãos por superfícies contaminadas”.

Além das viroses e outras doenças que costumam aparecer após o carnaval, o coronavírus é uma grande preocupação esse ano, embora o Brasil não tenha nenhum caso confirmado. Mas a chegada de milhares de turistas de outros países deixa a todos preocupados. A orientação da infectologista é para manter as mãos sempre higienizadas e evitar locais com pessoas que apresentem sintomas respiratórios.

Para quem gosta de curtir a folia, a alimentação e o consumo de bebida alcoólica também merecem cuidado. A dica é evitar alimentos gordurosos e não abusar do álcool. “A alimentação deve ser leve, priorizando alimentos saudáveis e nutritivos, com boa ingestão de proteínas e fibras para favorecer maior saciedade e disposição para curtir a folia. Uma má alimentação, associada ao abuso de bebida alcoólica, pode fazer estrago”, alerta a nutricionista esportiva Natyelle Bonina Souza.

Veja as dicas das especialistas

  • Se estiver doente não vá para a rua
  • Se tossir, proteja a boca e o nariz com o cotovelo ou a gola da blusa para não contaminar as mãos com secreções infectadas
  • Lave as mãos com frequência, ou utilize álcool em gel a 70% para higienizar
  • Evite compartilhar copos, talheres e garrafas
  • Beba bastante água, mas cuidado com a água que ingerir: deve ser filtrada ou fervida
  • Proteja-se do sol com filtro solar, chapéu e roupas com proteção UV
  • Não deixe de dormir! O sono repõe energias, fortalece o sistema imunológico e nos protege de adoecer


Atenção com alimentação e bebida alcoólica

  • A alimentação deve ser leve, priorizando alimentos saudáveis e nutritivos
  • O alto consumo de alimentos inadequados pode prejudicar a imunidade, devido ao baixo teor de antioxidantes e vitaminas
  • O excesso de bebida alcoólica, associado a uma má alimentação, causa desequilibro na microbiota intestinal, levando a problemas como indigestão, gases e diarreia
Foto: Revista ABM

Para curar a ressaca
  • Repouse e se hidrate com soluções isotônicas
  • Beba bastante água de coco. “Além de ajudar na hidratação repõe os eletrólitos perdidos”, explica a nutricionista
  • Chás de boldo e cidreira também podem ajudar, mas não coloque açúcar
  • Para os casos de vômitos e dores de cabeça de forte intensidade use medicação com orientação médica
  • Priorize alimentos naturais e de proteínas magras, sempre cozidos, assados ou grelhados
  • Aumente o consumo de frutas, verduras e legumes
  • Evite frituras e alimentos industrializados



Beijar e fazer sexo
  • Beijar é bom, mas tem que ir com calma! O hábito de beijar muitas bocas no carnaval pode ser perigoso. O beijo é uma forma de transmissão de doenças virais como a mononucleose (conhecida como a doença do beijo) e a hepatite A, além de colocar em risco a exposição ao vírus HIV e à sífilis
  • Faça sexo com uso de preservativo: é a forma mais efetiva de prevenção das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), como sífilis, gonorreia, dentre outras. “A camisinha deve ser vestida logo no inicio da ereção e mantida ate o completo fim do ato”, orienta a infectologista
  • O sexo oral também pode expor à sífilis
Foto: Revista ABM

Cuidado com bebidas energéticas
  • Quem tem gastrite deve evitar bebidas e suplementos à base de cafeína para não ter os sintomas piorados. E só deve ingerir com orientação do médico ou nutricionista
  • A cafeína pode atrapalhar o sono de pessoas que são sensíveis ou tem tolerância baixa a essa substância
  • O abuso de cafeína associado ao consumo de álcool pode levar à arritmia, principalmente para quem tem predisposição genética. Deve-se evitar o consumo exagerado