Saúde

Saiba quais vacinas devem ser tomadas antes de viajar

Alguns países só permitem a entrada de turistas — tanto crianças quanto adultos — que apresentem certificados internacionais

Evelin Azevedo, da Agência O Globo
Durante o planejamento de uma viagem, além de pesquisar sobre passagens, hospedagem e passeios, é preciso buscar informações sobre a necessidade de atualizar sua carteira de vacinação. Alguns países só permitem a entrada de turistas — tanto crianças quanto adultos — que apresentem certificados internacionais comprovando a imunização para determinadas doenças.
— Atualizar a carteira de vacinação é uma das medidas mais importantes para quem vai viajar. Várias das vacinas do calendário que estão disponíveis para serem aplicadas protegem contra doenças que são bastante comuns e que podem atrapalhar as viagens e as férias — afirma Alberto Chebabo, médico infectologista do Lâmina Medicina Diagnóstica.
O médico dá o exemplo da vacina contra a gripe. A doença, causada por vírus, é mais comum no inverno. Em caso de viagem para alguma região do hemisfério Norte, como Estados Unidos ou países europeus, a recomendação é para se vacinar. O Ministério da Saúde orienta a seguir o calendário nacional de vacinação de acordo com cada idade como forma de estar totalmente protegido contra possíveis surtos de doenças, tanto no exterior como em território brasileiro.
Como as vacinas levam um tempo para começar a surtir efeito e proteger o corpo contra os agentes infecciosos, a orientação é se imunizar com antecedência. — Como regra geral, é importante a pessoa estar vacinada cerca de 15 a 30 dias antes da data de embarque, para garantir a “pega” da vacina e para que um eventual efeito colateral não atrapalhe os primeiros dias da viagem — orienta Celso Granato, infectologista e diretor Clínico do Grupo Fleury.
Caso você precise tomar algum tipo de vacina para o qual seja necessária mais de uma dose, o tempo de espera para a viagem pode ser maior, já que há um período de espera entre as doses que precisa ser respeitado.
No site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) há um passo a passo sobre como tirar o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). Já o Ministério da Saúde tem uma página na internet que dá várias dicas, que vão além das vacinas, sobre as precauções que o viajante brasileiro deve tomar.
Como se proteger
Febre Amarela
A vacina contra a febre amarela deve ser dada aos 9 meses, em dose única. Pessoas que ainda não tomaram a vacina, devem tomar.
Poliomielite
As vacinas do esquema VIP/VOP são as responsáveis por proteger as crianças da Poliomelite. São três doses da vacina injetável VIP aos 2, 4 e 6 meses e mais duas doses de reforço com a vacina oral bivalente VOP (gotinha), aos 15 meses e aos 4 anos.
Sarampo e rubéola
A tríplice viral é a responsável pela prevenção de sarampo e rubéola, e ainda de caxumba. A primeira dose deve ser dada aos 12 meses e a segunda dose (que pode ser a tetra viral ou a tríplice viral e vacina varicela) deve ser dada aos 15 meses. Como vivemos um surto de sarampo no Brasil, recomenda-se vacinar todas os bebês com idade entre seis meses e um ano com a dose zero da tríplice viral.
Difteria e tétano
Na infância, a proteção contra a difteria e tétano deve ser feita pela vacina pentavalente/DTP, que ainda protege contra coqueluche, hepatite B e bactéria haemophilus influenza tipo b, responsável por infecções no nariz, na garganta e meningite. As doses devem ser dadas aos 2, 4 e 6 meses, com dois reforços: aos 15 meses e aos 4 anos.
Nos adultos, a vacina dupla adulto (dT) é indicada como reforço para tétano e difteria, após os 7 anos de idade. Deve ser atualizada a cada dez anos.