Saúde

Sexo desprotegido e DST’s podem causar infertilidade irreversível, diz especialista

De acordo com o Ministério da Saúde 56,6% dos brasileiros entre 15 e 24 anos usam camisinha com parceiros eventuais

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
A incidência das Doenças Sexualmente Transmissíveis em jovens brasileiros tem avançado consideravelmente nos últimos anos. De acordo com o Ministério da Saúde 56,6% dos brasileiros entre 15 e 24 anos usam camisinha com parceiros eventuais. “Os jovens estão deixando de usar caminha e isso aumenta o risco de contrair uma Doença Sexualmente Transmissível (DST) no início da vida sexual, que pode deixar sequelas para o resto da vida”, explica o especialista em Reprodução Humana, Joaquim Lopes, diretor do Cenafert - Centro de Medicina Reprodutiva.
Problema de saúde pública mundial, as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's) são infecções transmitidas através de relações sexuais com uma pessoa contaminada. As DST’s podem causar danos no aparelho reprodutor nos dois sexos e levar à infertilidade. Nas mulheres, por exemplo, podem provocar obstrução das trompas, impedindo a gravidez pelo processo natural. Nos homens, a gonorreia e a clamídia são capazes de causar obstrução dos canais por onde transitam os espermatozoides – os condutos deferentes.
"A melhor forma para prevenir as DST's continua sendo o uso do preservativo em todas as relações sexuais",  reforça o especialista.
"Ao notar qualquer lesão na região genital ou sintomas, como feridas, bolhas, verrugas, inchaço, secreção, mal cheiro, ardência ou coceira, dor pélvica ou mesmo dor no ato sexual, é importante parar de ter relação sexual, procurar o médico e informar ao parceiro para que o faça também", orienta Joaquim Lopes.