Saúde

Tesão x quarentena: médico explica quem pode fazer sexo durante a pandemia do coronavírus

Até o momento, não existe estudo citando que é possível contrair coronavírus por relações sexuais

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Em tempos de pandemia de coronavírus e aumento do número de casos de pessoas com o covid-19, é normal sugerem várias dúvidas sobre a doença e as formas de contagio. "É seguro fazer sexo durante a pandemia?" é uma delas, pois é recomendado, no mínimo, um metro de distância entre as pessoas.

Até o momento, não existe estudo citando que é possível contrair coronavírus por relações sexuais. Porém, já se sabe que o vírus é transmitido por gotículas de saliva e em secreções como em caso de tosse e espirros. Com isso, o beijo é um canal para passar o vírus de uma pessoa para outra, por exemplo.

Mas, pensando em pessoas que não estão com nenhum sintoma do novo coronavírus. Pode ou não? Em entrevista ao portal 'O Dia', o urologista e sexólogo Diego Galante garantiu que é preciso se preocupar apenas com casos muito específicos.

Foto: reprodução / Pixabay

“Caso não haja pessoas de risco dentro da casa, não há problema nenhum em ter o mesmo contato sexual de sempre”, explica o especialista.

Ainda de acordo com 'O Dia', o médico disse que, caso ambos estejam saudáveis e não apresentem sintomas, não é necessário tomar atitudes redobradas de prevenção ou adotar grandes restrições.

Com relação aos casais que não moram juntos, o médico disse que o ideal é tentar passar o período de isolamento juntos, pois não é recomendável deslocamentos.



Diego Galante explicou ao 'O Dia' que só precisa evitar fazer sexo as pessoas que estão em grupos de risco, profissionais da área da saúde e pessoas que estiverem próximas de quem está infectado. O especialista ainda disse que aqueles que não tem parceiro fixo também devem optar por se preservar neste momento.

“Talvez seja hora de estimular apenas o contato em rede social, aplicativos de paquera e WhatsApp”, completou o especialista.