Saúde

Veja como não engordar no São João e aproveitar melhor as delícias juninas

"O ideal é substituir, ou reduzir a quantidade, ou acrescentar outros sabores para agradar o paladar", alertou a nutricionista Vera Lúcia Souza

Revista ABM

O período junino, principalmente no Nordeste, é uma época de pratos típicos bastante variados e gostosos. São muitas opções de dar água na boca, e fica difícil resistir. Mas é preciso não exagerar na comilança, embora na base das receitas estejam alimentos com nutrientes necessários à saúde.

“Os pratos típicos dessa época já são calóricos, então é preciso evitar os ingredientes nada saudáveis. O ideal é substituir, ou reduzir a quantidade, ou acrescentar outros sabores para agradar o paladar. Mas devemos lembrar que, mesmo assim, não é indicado exagerar no consumo” alerta a nutricionista Vera Lúcia Souza.

Por exemplo: substituir o açúcar cristal pelo mascavo, ou demerara; não incluir manteiga em receita que leva coco, que já é bastante oleoso; substituir o leite integral pelo desnatado ou leite de coco, e diabéticos devem substituir o açúcar por adoçante, para não ter pico glicêmico. Leite condensado, creme de leite, queijos gordurosos e caldas açucaradas costumam aparecer em algumas receitas, mas triplicam a caloria e acabam sendo os vilões na festa junina.
Foto: divulgação / Revista ABM

Os alimentos típicos mais nutritivos dessa época e algumas dicas de consumo saudável:

Milho: Alimento versátil, que pode ser usado em diversos tipos de preparo, é bastante nutritivo e tem baixo índice glicêmico, indicado para os diabéticos. Contém em sua composição fibras que ajudam a melhorar o transito intestinal, além de conter vitaminas do complexo B, vitamina A e minerais.

Dica: consumir cozido é o mais indicado, por estar in natura. Em receitas de bolo, assim como no mugunzá e na canjica, é acrescido de outros ingredientes que o torna calórico. Os hipertensos devem evitar o milho em conserva ou cozido com sal.

Amendoim: É muito nutritivo e bastante consumido nessa época do ano, em diversas variedades de preparo: cozidos, bolos, assados, paçoca. Contêm em sua composição vitaminas do complexo B, diversos minerais, além do antioxidante resveratrol que ajuda a prevenir câncer, doenças cardiovasculares e melhora a saciedade.

Dica: por se oleoso seu consumo deve ser moderado para não causar desconforto intestinal.

Aipim: Base do bolo que é um dos principais pratos típicos do Nordeste é uma raiz de consumo variado, desde goma, a polvilho, cozida, assada, frita, em bolos, sopas e caldos. Contém em sua composição vitaminas do complexo B, vitamina C, além de outros nutrientes. É usada com muita frequência por praticantes de atividade física na construção de massa muscular, aliado com uma fonte de proteína.

Dica: por ser um carboidrato complexo e ótima fonte nutricional, é indicado como substituto do pão.
 
Coco: muito usado nas festas juninas para agregar sabor aos bolos, canjicas, mugunzá e outras delícias, é rico em gorduras boas que ajudam na proteção do sistema cardiovascular e neurológico, além e aumentar a saciedade e conter vitaminas e minerais.
Laranja: fruta rica em vitamina C, cálcio, potássio, fosforo e vitaminas do complexo B, pode ser consumida in natura, ou como suco, e nessa época é bastante usada em receita de bolo. Ajuda a aumentar o sistema imunológico e previne contra o câncer.



Dica: In natura ou em suco integral é sempre mais indicado. Consumir seu bagaço ajuda na prisão de ventre.

Abaixo uma receita de paçoca fit sugerida pela nutricionista, com baixo custo e saborosa, que pode ser conservada por até uma semana em uma vasilha fechada, na geladeira.

Paçoca Fit
Foto: divulgação / Revista ABM
Ingredientes

250g de pasta de amendoim ou amendoim processado
50g de açúcar demerara, ou mascavo, ou adoçante culinário
100g de farinha de aveia
Uma pitada de sal

Modo de preparo


Misture todos os ingredientes até obter uma farofa bem úmida, coloque em copinhos ou use formas de trufas de acetato para da forma nas paçocas. Se ficar ressecada coloque um pouco de óleo de coco.