Saúde

Whey, creatina, carbo: novos conceitos em nutrição esportiva derrubam mitos

Fisiologista comenta novidades apresentadas em congresso nos EUA sobre temas polêmicos na área da nutrição e dos suplementos nutricionais.

Agência O Globo

O penúltimo final de semana, aconteceu na cidade de Phoenix, Arizona, nos Estados Unidos, o 14° Encontro Anual da Sociedade Internacional de Nutrição Esportiva (Internacional Society of Sports Nutrition- ISSN) e nossa equipe foi representada pela Dra. Gerseli Angeli. Durante o evento foram abordados os temas mais atuais e também polêmicos na área da nutrição e dos suplementos nutricionais. Dentre os principais assuntos, cabe destacar alguns:


- Creatina:

Estudos científicos muito consistentes comprovam que a creatina, além de ser extremamente segura, traz inúmeros benefícios, não só para os praticantes de atividades físicas que buscam o fortalecimento muscular e a performance, mas também para aqueles que desejam combater o envelhecimento.

O consumo de creatina apresenta um efeito anticatabólico sobre os músculos e ossos, ou seja, ajuda a combater a perda de massa óssea (osteopenia e osteoporose) e de massa muscular (sarcopenia- inerente ao processo de envelhecimento), daí seu crescente uso pela medicina antiaging.

Foto: Reprodução


- Whey Protein:

Os inúmeros estudos apresentados no congresso da ISSN confirmam as informações que já vêm sendo difundidas pelo American College of Sports Medicine (ACSM) e derrubam o mito de que dietas ricas em proteínas podem prejudicar os rins e fígado. Este é um conceito que precisa ser definitivamente aceito pelos profissionais das ciências do esporte.

Um estudo avaliando o consumo de uma dieta contendo 3g/kg de peso de proteína por dia, durante o período um ano, demonstrou não provocar qualquer tipo de alteração nas funções hepática e renal, nem alterações nos níveis de colesterol e triglicérides.

Por outro lado, o maior consumo de proteínas contribuiu para a perda de gordura corporal e aparentemente para melhora da massa óssea. Estudos apontam ainda que a distribuição do consumo de proteína ao longo do dia, aproximadamente 20g por dose, e a associação desse consumo à prática de exercícios, apresenta uma interação muito positiva para a saúde, contribuindo para o ganho de massa muscular e protegendo contra a perda de massa magra tão comum em processos de emagrecimento e inerente ao processo de envelhecimento.


- Carboidrato:

Pesquisas avaliando o efeito de dietas com baixo consumo de carboidratos, especialmente a dieta cetogênica, também foram apresentados, e o que se pôde observar até o momento é que dietas com baixo consumo de carboidratos não são ideais para praticantes de atividades físicas e atletas, uma vez que o carboidrato é um nutriente fundamental para esses indivíduos.