Secretaria de Saúde alerta sobre aumento de doenças em períodos de chuva; saiba como se prevenir


Com a chegada das chuvas em Salvador e Região Metropolitana, a Vigilância em Saúde emitiu um alerta sobre a necessidade prevenção contra doenças transmissíveis em contato com água chuva.  

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), uma das principais doenças registradas nesse período é a dengue. Transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, a arbovirose se multiplica em depósito de água parada.  

Outros problemas registrados são a esquistossomose, doença causada por vermes parasitas de água doce. Além disso, a Chikungunya, infecção viram transmitida por mosquitos; leptospirose, transmitida pela urina de animais infectados, além da toxoplasmose e a hepatite A e E, doenças conhecidas pela transmissão em períodos chuvosos.  

A orientação da Vigilância em Saúde é que os cuidados sejam redobrados nesta época do ano. A é recomendação para quem teve contato alagamentos ou inundações, é que fiquem atentas a sintomas como dor de cabeça, dor no corpo, náuseas e febre.  

“A água contaminada é o principal meio de transmissão de doenças. Alguns sintomas são parecidos, o que confunde muito a população. Cuidar para eliminar focos do mosquito. Quem apresentar sintomas característicos, deve procurar a unidade de saúde mais perto de sua residência para receber a devida orientação médica”, disse Ana Patrícia Nogueira Dantas, superintendente da Vigilância em Saúde de Lauro de Freitas. 

Prevenção  

  • Algumas dicas de prevenção para o período são: 
  • Guardar os alimentos em lugares secos e dentro de recipientes fechados 
  • Lavar frequentemente as mãos com água tratada antes de manipular os alimentos; caso sejam expostos à água contaminada devem ser inutilizados 
  • Consumir somente água potável, inclusive na preparação de refeições. 
  • Colocar telas nos ralos 
  • Não permitir que crianças brinquem com águas da chuva 
  • Proteger o pé com calçados, e até mesmo plástico 
  • Não ter contato com roedores (os principais transmissores de doenças) 

Além disso, a limpeza dos reservatórios também é necessária, mesmo quando não sã atingidos diretamente pela água da enchente. Segundo o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), a lama dos alagamentos tem alto poder infectante. É recomendável retirar a lama e lavar o local, desinfetando-o com mistura de água e água sanitária.  

Segundo Igor Fidélis, diretor-geral do CCZ, as equipes estão nas ruas diariamente, fazendo um trabalho preventivo e levando essas orientações para a população. “O CCZ é bem dinâmico. Nossas equipes visitam todos os bairros, levando dicas, esclarecendo todas as dúvidas e ajudando no combate de doenças contagiosas”, relatou. 

Leia mais sobre Brasil no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias

Veja também: