Se essa rua fosse minha

Parque São Bartolomeu: sabia que existem cachoeiras dentro de Salvador?

Dá para ver cinco delas na trilha ecológica dentro do parque. A próxima delas acontece neste domingo (22)

Ive Deonísio e Luriana Moraes (falecomseessarua@gmail.com)
- Atualizada em

A gente quer começar esse texto com um convite para você conhecer um respiro de natureza em Salvador. Nem parece, mas o Parque São Bartolomeu fica aqui mesmo, nessa cidade em que se destrói árvores centenárias, onde matas, cachoeiras e rios são um luxo cada vez mais raro. Neste domingo (22), às 9 horas, uma trilha ecológica gratuita e sem inscrições parte da porta da entrada principal do parque (Avenida Suburbana).

Trilha ecológica gratuita do Parque São Bartolomeu
A gente fez essa mesma trilha em junho e recomenda muito a experiência! É meio surreal acreditar que dá para fazer uma trilha pela natureza dentro da cidade, a gente sabe. Mas nós garantimos que é possível e vamos contar aqui um pouquinho dessa descoberta para você já ir se empolgando e fazendo planos para o fim de semana.

O parque é uma reserva de Mata Atlântica com árvores e pedras do bioma original. A fauna e a flora do espaço são sagradas para as religiões de matriz africana. Em respeito à ciência e à religião, logo na entrada os guias advertem: “aqui não se pega e não se leva nada que está no chão”. Para levar mesmo, só energia boa. Lá é comum encontrar pessoas deixando oferendas ou fazendo rituais nas matas e cachoeiras. A Escada dos Escravos, por exemplo, é conhecida por ter um fundamento de orixá em cada pedra.
A Escada dos Orixás é parte da trilha ecológica
Das cinco cachoeiras que vimos, quatro são conhecidas por nomes de entidades do Candomblé/Umbanda: Nanã, Oxum, Oxumaré, Tempo e Escorredeira. Pena que só a Oxumaré está própria para banho. Mas não é só para a religião que o Parque São Bartolomeu é importante. Foi nas matas da reserva que viveram os Índios Tupinambás e tempos depois elas foram sede do Quilombo do Urubu. No quilombo viveu Zeferina, escrava protagonista da Batalha de Pirajá, que foi decisiva para a Independência da Bahia. Eita pedacinho da cidade cheio de história ancestral!

No passado mais recente, o parque abrigava uma estação de tratamento de água que abastecia oito bairros do Subúrbio. Hoje, a estação está abandonada e parte dos mananciais da Bacia do Cobre estão poluídos, por isso algumas cachoeiras estão impróprias para banho. Ainda em funcionamento, a barragem da estação, conhecida como Sete Quedas, surpreende pela altura e pela imponência da queda da água. Quando fomos, era uma época de cheia, a vazão da água estava mais forte, deixando a queda ainda mais bonita. Foi impactante sair de um clarão da trilha e dar de cara com esse visual.
Barragem das Sete Quedas, no Parque São Bartolomeu
A barragem é o presente de final de trilha. Mesmo que a água não esteja 100% limpa, dá para relaxar com um banho gostoso cercado de natureza. No final, foi gratificante ver tanta gente comentando “isso aqui nem parece Salvador” e “fulano tem que vir na próxima”.
Represa Bacia do Cobre

Infelizmente, o Parque São Bartolomeu não é tão seguro assim. E é para revitalizar os mananciais e cachoeiras poluídas e transformar o local em um espaço mais seguro que os moradores estão organizando trilhas ecológicas gratuitas. A trilha é bem tranquila, fizemos o percurso junto com crianças e idosos. A gente recomenda levar roupa de banho, tênis e protetor solar. Se não puder fazer a trilha coletiva, marque um passeio com guia. Visite o parque, dissemine a beleza do espaço. A gente precisa tomar espaços como este e cuidar deles antes que desapareçam.
Olha a galera da última trilha!

Se no fim do passeio estiver a fim de uma comida boa, com preço justo e sem precisar pegar transporte, recomendamos um almoço no Rango da Leka. É um restaurante inaugurado há três meses, ainda sem placa, onde só trabalham mulheres. Escolhemos porções individuais de feijoada (R$20) e arraia (R$25). Que delícia uma comidinha caseira, bem temperada e farta depois de uma andada! ⠀
Comida farta e preço justo pós trilha

Veja mais sobre essa trilha e outros passeios no nosso Instagram @seessarua_fosseminha⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Serviço:
Trilha Ecológica Parque São Bartolomeu:
Data: 22/7 (domingo)
Horário: de 9h às 12h
Ponto de Encontro: Entrada do Parque pela Avenida Suburbana
Valor: Gratuito, sem inscrições
Traje: roupa de banho, tênis ou bota de trilha, levar protetor solar
Endereço: R. São Bartolomeu, s/n – Principais entradas Plataforma (Avenida Suburbana) e Pirajá  
Telefone: (71) 3401-0245
Contato dos Guias: Iraquiano Rios 99902 3997 Bimbau: 99867 0534

Rango da Leka:
Endereço: Rua dos Ferroviários, n 12 - São João do Cabrito. Rua da Igreja Universal, bem em frente ao Parque São Bartolomeu.
Horário: Sexta a domingo e feriados das 12h às 17h.
Telefone: (71) 99117-2974/ (71)  98771-3083

*O projeto "Se Essa Rua Fosse Minha" visita diversos bairros soteropolitanos, carinhosamente chamados de ruas, numa das muitas licenças poéticas que você vai encontrar nos textos. Ali, as publicitárias Luri Moraes e Ive Deonísio se encantam com as pessoas, conversam animadamente com os moradores e se deixam levar por esse mar de amor que emana das ruas de Salvador. Mais histórias e fotos em @seessarua_fosseminha