Se essa rua fosse minha

Passeio: que tal tomar uma em um bar centenário?

Nos Barris tem comida exótica, bares de esquerda e a biblioteca mais instagramável da cidade

Ive Deonísio e Luriana Morais (falecomseessarua@gmail.com)
- Atualizada em
Hoje o nosso rolê é pelos Barris, um bairro que abriga a Estação de ônibus e metrô da Lapa e fica no centro da cidade, mas ainda conserva um clima de interior. Hoje, é residência de aposentados, estudantes que vêm do interior e muitos intelectuais. Uma mistura de bairro residencial com casas antigas e prédios baixos, comércio pequeno e cultura.
O cartão postal do bairro é a Biblioteca Central dos Barris, essa senhora de 208 anos que não anda bem de saúde, mas, como toda pessoa bem vivida, é cheia de histórias interessantes. Já foi roubada e sofreu dois incêndios, mas ainda tem livros do século XVI ao século XX, morou em muitas casas quando jovem (primeiro no Pelourinho, depois na Catedral Basílica e por último no Palácio do Governo), é a primeira biblioteca pública da América Latina, são mais de 600 mil livros e muitos, muitos mesmo, são livros raros.  E ela é mais que uma biblioteca, é um centro de artes: tem duas salas de cinema, galeria, biblioteca infantil, setor de braile e xilografia e teatro. É senhora, com instalações precárias, porém famosinha no Instagram pelas intervenções no prédio: são palavras, frases e poemas-poesia estampadas nas paredes, que nem essas das fotos.
Lá também tem o Hospital de Bonecas, que está há mais de quarenta anos no mesmo lugar, uma salinha pequena na Rua Mesquita dos Barris.  Rosalvo Bonfim, o nosso Gepeto, já perdeu a conta de quantos brinquedos consertou. “A maioria são bonecas, já cuidei de bonecas de mais de 100 anos”. Cuidado é mesmo a palavra. Rosalvo trabalha com muito esmero porque sabe que, mais que o objeto, resgata memórias. Ele é médico de emergência e cirurgia estética, maquiador, cabeleireiro, dentista, costureiro, stylist e restaurador. Aprendeu com o pai e diz que tem prazer em reviver os sonhos das pessoas.
E que tal uma passadinha no bar de esquerda mais charmoso da cidade? O Velho Espanha começou como um armazém da família Mendez Piñeiro e completou 100 anos em 2018. É o segundo bar mais antigo de Salvador, foi frequentado por Glauber Rocha e outros intelectuais quando era o Bar Espanha. Rebatizado de Velho Espanha em 2017, continua atraindo gente meio intelectual, meio de esquerda, jovens que querem beber, ouvir música e ver gente. A reforma recente respeita a história do local. No Velho Espanha, o piso de ladrilho hidráulico, o teto de madeira e as paredes de adobe são originais. É que antes de proprietários, Uiara e Arthur eram clientes de Seu Zé, o antigo dono.
Dizem que os Barris têm um clima meio esotérico. Coincidência ou não, o bairro abriga uma cartomante famosa da cidade,a organização espiritual Brahma Kumaris, a filosofia japonesa Seicho-No-Ie, escola de ioga e o Govinda, a nossa dica esotérica-gastronômica no dia. Govinda significa suprema felicidade em sânscrito. Felicidade cada um tem a sua e essa é escondidinha e discreta, fica em um sobrado sem placa na porta, na Ladeira dos Barris. ⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O Govinda é daqueles lugares bem indianos, simples, confortáveis, com muitas imagens de entidades e comida indiana bem feita, com preço melhor ainda. Ele funciona sempre no almoço, a partir das 12h. Nesse dia, comemos uma soja bem temperada com arroz e salada, suco de maçã, beterraba e limão, e doce de banana, castanha e mel. Parece demasiadamente natureba, mas a gente jura que estava incrivelmente gostoso. Tudo isso custou R$ 25. ⠀
Se o passeio pelos Barris foi bom e você ficou até o fim do dia, não deixe de ir na Divino Piacere, a pior pizzaria da cidade. Fica num casarão velho, não tem placa na porta, o corredor está cheio de quinquilharias, toca umas músicas esquisitas, não tem funcionários e a pizza é servida queimada.

Mas a Divino Piacere é também a melhor pizzaria da cidade. Fica num casarão histórico dos Barris, o corredor tem fotos de família, escadaria de mais de 100 anos, coleção de corujas antigas, toca rock italiano e seu Guido é atendente, garçom e pizzaiolo. Ele senta na mesa pra um papo tão bom que o faz esquecer da pizza no forno.  Então, ela é servida queimadinha, muito mais gostosa do que a primeira, que tinha chegado no ponto. ⠀⠀

CONFIRA OUTROS PASSEIOS DO SE ESSA RUA FOSSE MINHA

SERVIÇO
Biblioteca dos Barris

Endereço: Rua General Labatut, 27 - Barris
Horário: segunda a sexta: 8h30 às 21h sábado 8h30 às 13h
Telefone: 3117-6000

Hospital de Bonecas
Endereço: Rua da Mesquita dos Barris, 111 A - Barris
Telefone: 3328-2407

Velho Espanha
Endereço: Rua General Labatut,28
Horário: 12h às 22h
Telefone: (71) 3043-7481

Govinda
Endereço: Ladeira dos Barris, 190 - Barris
Horário: segunda a sábado 12h às 15h
Telefone:  (71) 99225-4869

Divino Piacere
Endereço: R. Gen. Labatut, 62
 

O projeto "Se Essa Rua Fosse Minha" visita diversos bairros soteropolitanos, carinhosamente chamados de ruas, numa das muitas licenças poéticas que você vai encontrar nos textos. Ali, as publicitárias Luri Moraes e Ive Deonísio se encantam com as pessoas, conversam animadamente com os moradores e se deixam levar por esse mar de amor que emana das ruas de Salvador.  Mais histórias e fotos em @seessarua_fosseminha