Se essa rua fosse minha

Plataforma oferece comida boa e barata, mar do Caribe e história

Por todo canto há um declive com mirada direta para o mar de azul caribenho e os telhados das casinhas coloridas amontoadas

Ive Deonísio e Luriana Morais (falecomseessarua@gmail.com)
- Atualizada em

Todo soteropolitano que se preze já ouviu que existem várias Salvador dentro de uma única cidade. E Deus nos livre de discordar da sabedoria popular! Por isso, a nossa missão é desmistificar a imagem negativa da Salvador do Subúrbio, e Plataforma, o bairro mais conhecido da área, é o roteiro da vez.

Uma moldura dessa, bicho!
Se existe uma enquete, a gente desconhece. Assim mesmo, antidemocraticamente, elegemos Plataforma como o bairro que tem as ladeiras com vistas mais bonitas. Por todo canto há um declive com mirada direta para o mar de azul caribenho e os telhados das casinhas coloridas amontoadas.  E se for para eleger uma ladeira preferida, de novo inventando enquete que nunca existiu, ficamos com a da Rua Úrsula Catharino, que em dia de sol nos presenteia com um cartão postal da cartografia recortada pelo mar de Salvador em que dá pra identificar facilmente a Ribeira, o Bonfim e o Corredor da Vitória.
Um banho de piscina pra lá de criativo. Êta Subúrbio maravilhoso!
E por falar em ladeira com vista, aí vai logo a nossa primeira dica: o Bar Pôr do Sol Drinks, na curva da ladeira da Rua Antônio Balbino. O lugar é pra botequeiro raiz, bem simples, conhecido pela cerveja gelada, pela passarinha com farofa e vinagrete e por não ter hora pra fechar. Que combo de respeito, hein? E tem bônus: ele fica espremido ao lado de um mirante de tirar o fôlego.
Aquele baba de lei

O coração de Plataforma é a Praça São Braz.  A praça da Capela São Braz, erguida em 1638 pelos jesuítas ao redor de aldeias indígenas, é também o espaço das manifestações, do coreto e do encontrinho dos moradores no fim de semana. É lá que fica o Centro Cultural Plataforma, único teatro de grande porte da cidade fora do eixo Centro/Pituba.  Atualmente, a praça é o elemento mais característico do bairro.
Um centro cultural efervescente fora do eixo Centro/Pituba. Não é maravilhoso?
E por falar em elemento característico do bairro, a região da estação do trem (trem que é um capítulo à parte e merece uma viagem) abriga um circuito que vale o passeio. É interessante como vários períodos da história de Plataforma convivem. A região já foi aldeia indígena, vila de pescadores, centro fabril da cidade e hoje é um dos bairros mais populosos do Subúrbio. Quem sabe se estivessem no centro as ruínas históricas da fábrica de tecido São Braz - com seus tijolinhos laranjas, as casinhas estreitas e sem ventilação da Vila Operária, a vista pro mar com as palmeiras reais da estação Almeida Brandão e o pôr do sol imperdível da travessia Ribeira-Plataforma - seriam tão valorizados quanto o Santo Antônio Além do Carmo, por exemplo.  Essa parte do bairro é linda, histórica e não merece ser abandonada por nós.
Linha do trem: melhor lugar para testar suas habilidades fotográficas
Talvez por ter um acesso tão fácil, a gente não se dê conta do privilégio que é ter uma linha férrea urbana à beira de um mar calmo como o da Baía de Todos-os-Santos. Passear à beira do trem nos rendeu a surpresa boa de reconhecer o Bar Cia, uma casinha de palha entre a linha do trem e o mar, na Praia da Bacia, que oferece brisa boa, tira-gosto fresco, cerveja gelada e música ao vivo às segundas, quando o movimento é maior. Deu vontade de ficar mais.
 
Bar Cia e essa vista maravilhosa. Bora lá, gente!
E pra fechar o roteiro com uma comida de respeito, recomendamos qualquer prato da Cabana da Neinha, famosa por fazer fila no quarteirão pra provar a moqueca. Neinha teve que fazer segundo andar para abrigar toda a freguesia do restaurante.
A melhor moqueca da vida
Melhor pra gente que come comida boa e ainda ganha uma vista do mar azul de presente. A gente recomenda finalizar o capítulo Plataforma com o pôr do sol no mar. E já vamos contando os dias para o próximo roteiro.
Gente que trabalha para fazer de Plataforma um bairro literalmente delicioso
Serviços:
Bar Por do Sol Drinks
Horário: Abre às 9h e não tem horário para fechar
Contato: 99246 4562
Endereço: Rua Antônio Balbino, Plataforma s/n
Passarinha com salada e farofa: R$
 
Bar Cia
Horário: Sábado/Domingo/Segunda - 8h às 17h
Contato: 9286 0154 - Sidney
Endereço: Praia da Bacia, ao lado da linha do trem, Plataforma
Peixe frito, farofa e vinagrete - R$20

Bar da Neinha

Horário: Terça a Sábado (9h às 22h) Domingo (9h às 17h)
Contato: 3398-3985
Endereço: Rua Baptista Machado, 45 - Plataforma
Moqueca de Camarão - R$129 (comem até 5 pessoas)
 

*O projeto "Se Essa Rua Fosse Minha" visita diversos bairros soteropolitanos, carinhosamente chamados de ruas, numa das muitas licenças poéticas que você vai encontrar nos textos. Ali, as publicitárias Luri Moraes e Ive Deonísio se encantam com as pessoas, conversam animadamente com os moradores e se deixam levar por esse mar de amor que emana das ruas de Salvador. 

Mais histórias e fotos em @seessarua_fosseminha