Se essa rua fosse minha

Seu próximo destino turístico está bem próximo de você: o Candeal

Conheça o bairro que se reinventou graças ao talento dos seus moradores.

Ive Deonísio e Luriana Morais (falecomseessarua@gmail.com)
- Atualizada em

Logo na entrada do bairro fomos presenteadas com uma imagem que nunca mais vai sair da nossa memória: um bocado de crianças com latas de tinta na mão, pintando uma escadariaconhecida como Zap. E foi Sinho, esse cara gente boníssima aí da foto, que nos recebeu e nos contou que é um multiplicador da comunidade e que adora levar a paixão pela música clássica para os jovens que vivem no Candeal.

Foto: Ive Deonísio e Luriana Morais | Divulgação
A música, aliás, parece ser o combustível de muitos moradores que buscam uma vida melhor através da batida percussiva, história que começou lá atrás com Carlinhos Brown, que quando menino batucava em latas que ele trazia com água para a família. Como o bairro sofria com a falta de saneamento, era comum os homens saírem para procurar água. Aí entra uma das histórias mais legais do Candeal. Sabe aquela música que a gente ouve nos ensaios da Timbalada: “Bebeu água? Tá com sede?”. 

Pois é, Brown a compôs em homenagem à fonte que sempre ajudou a comunidade quando não havia água encanada por lá. E como nosso negócio aqui é contar histórias, aqui vai mais uma incrível: no muro atrás da bica existe uma pintura de Nossa Senhora da Conceição, protetora do bairro. Brown tinha uma imagem de madeira da santa, que o acompanhou durante muitos anos. Quando o ex-boxeador Hollyfield entrou numa casa em chamas para salvar os sobrinhos e precisou de ajuda financeira, o cantor resolveu leiloa-la, porque no sincretismo, a santa é Oxum, deusa das águas. Alguma dúvida de que essa água do Candeal é mesmo poderosíssima?

Se lembra quando dissermos que o Candeal mudou seu ritmo por causa da batida percussiva?Seguindo os passos do Cacique, muitos jovens se interessaram pela profissão e seguem construindo um futuro melhor para as suas famílias, para o bairro e para suas carreiras profissionais. Ciente de seu papel reconstrutor, o Candeal investiu em locais que possibilitam o acesso desses jovem às aulas, muitas vezes gratuitas. A Pracatum, que sempre recebeu esses talentos de portas abertas, sabe contar essa linda história como ninguém. Mais de 2 mil jovens já passaram por lá.

Foto: Ive Deonísio e Luriana Morais | Divulgação
E como nosso negócio aqui é contar histórias, aqui vai mais uma incrível: no muro atrás da bica existe uma pintura de Nossa Senhora da Conceição, protetora do bairro. Brown tinha uma imagem de madeira da santa, que o acompanhou durante muitos anos. Quando o ex-boxeador Hollyfield entrou numa casa em chamas para salvar os sobrinhos e precisou de ajuda financeira, o cantor resolveu leiloa-la, porque no sincretismo, a santa é Oxum, deusa das águas. Alguma dúvida de que essa água do Candeal é mesmo poderosíssima?

Foto: Foto: Ive Deonísio e Luriana Morais | Divulgação
Se lembra quando dissermos que o Candeal mudou seu ritmo por causa da batida percussiva? Seguindo os passos do Cacique, muitos jovens se interessaram pela profissão e seguem construindo um futuro melhor para as suas famílias, para o bairro e para suas carreiras profissionais. Ciente de seu papel reconstrutor, o Candeal investiu em locais que possibilitam o

acesso desses jovem às aulas, muitas vezes gratuitas. A Pracatum, que sempre recebeu esses talentos de portas abertas, sabe contar essa linda história como ninguém. Mais de 2 mil jovens já passaram por lá.

Foto: Foto: Ive Deonísio e Luriana Morais | Divulgação

Eita que chegou o momento que muita gente espera: a hora de matar a fome de quem já matou a sede de novas histórias. No quesito fomes, você pode sempre ficar tranquilo, querido leitor, a gente jamais vai te deixar na mão. Por isso trouxemos duas opções dessa vez. Se você quiser comer aquela comidinha simples e deliciosa feita na hora, o Cantinho da Tina é o seu lugar. 

O restaurante da mãe de Brown fica dentro do Candyall Guetho Square, e enquanto você espera seu almoço ficar pronto, que tal pedir aquela cerveja canela de pedreiro e ir conhecer tudo de lindo que o espaço oferece? Obras de arte, poesias, esculturas, pinturas e um bocado de objeto que remete à nossa cultura. De quebra você ainda mata a saudade daquele tempo bom em que ia de galera pros ensaios da Timbalada. A gente sabe o que você fez nos verões passados, viu?.

Foto: Foto: Ive Deonísio e Luriana Morais | Divulgação

Vamos encerrar do jeito que o baiano gosta? Depois de bater perna pelo bairro, pare ali no Acarajé da Bia e peça um no capricho com muito camarão. Pode dizer que o vatapá é por contada gente. Bom apetite e bom passeio.

Foto: Foto: Ive Deonísio e Luriana Morais | Divulgação


Serviços:
Acarajé da Bia
Todos os dias, a partir das 18h
Av. ACM, do lado do Posto BR Cidade Jardim
Acarajé completo: R$10

Cantinho da Tina
Apenas com reservas pelo telefone 3276-2255
Rua Paulo Afonso, 448