Shopping

Veja quais cuidados os consumidores devem ter antes de comprar na Black Friday

Consumidor deve pesquisar preços e desconfiar de valores que estão fora da realidade de mercado

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Faltando menos de duas semanas para a Black Friday de 2021, os consumidores já estão pesquisando itens e serviços que desejam adquirir com algum desconto. Aquela geladeira tão sonhada, televisores, smartphones de última geração, uma sessão de spa ou, até mesmo, uma viagem, são exemplos de produtos e serviços que podem estar em promoção, neste período. Mas, é importante ter atenção para alguns fatores que vão contribuir para uma compra mais segura e consciente. Para o educador financeiro, Lucas Rios, é importante que o consumidor coloque tudo na ponta do lápis e faça uma boa pesquisa antes de ir às compras. "Existem aplicativos que comparam preços entre fornecedores, como Zoom, Buscapé, entre outros. Eles mostram os preços praticados agora e em outros períodos do ano. Sempre é bom pesquisar o preço dos produtos para que o consumidor não seja enganado com falsos anunciantes do momento da Black Friday.", disse.

Foto: Reprodução | iStock 

O comércio está otimista para as vendas deste ano e o consumidor, também, pretende ir às compras. Na Bahia, a Fecomércio estima crescimento nas vendas de 5,4% do setor. Já em relação aos consumidores, uma pesquisa da E-bit | Nielsen, mostrou que 89% dos entrevistados vão comprar algum item no dia da Black Friday. Entre os itens mais desejados estão: eletrônicos (44%), eletrodomésticos (39%), artigos de casa e decoração (30%) e informática (29%). Além disso, o principal motivo para 85% dos entrevistados decidirem ir as compras no dia 26 serão os preços. Lucas Rios alerta para algumas ofertas que, normalmente, surgem neste período e a importância de ter critérios antes de comprar. "O barato, pode sair caro. Desconfie de ofertas que fogem, muito, da média de preços e verifique a procedência do fornecedor. Tenha cuidado para não cair em golpes e o sonho se tornar pesadelo", afirmou.

Uma pesquisa feita pela fintech Trigg sobre a Black Friday, que ouviu quase 7,5 mil brasileiros no final de outubro, mostrou que quase metade dos entrevistados (49%) querem gastar mais este ano em comparação com o ano anterior. Outro dado mostra que 71% dos entrevistados já vão adiantar a compra dos presentes de Natal na Black Friday. Lucas faz um alerta para que o consumidor analise se, de fato, há uma necessidade ou desejo de adquirir aquele item/serviço. "Não compre por impulso. Lembre-se: estamos em crise financeira, ainda. Poupar, é melhor do que gastar. Mas, se for gastar, compre com consciência", concluiu.

Confira mais algumas dicas do educador financeiro Lucas Rios:

- Verificar a procedência do fornecedor. Cuidado para não cair em golpes e o sonho se tornar pesadelo;

- Dê prioridade para empresas que entreguem com frete zero, mas cuidado com valores embutidos no preço para que, ao final das contas, a fatura não seja maior do que aquela empresa que cobraria pela entrega;

- Mantenha o cartão de crédito sempre controlado.  Os valores de juros cobrados pelo cartão são altíssimos. Tenha o cartão de crédito como uma espécie de contador particular, onde o consumidor pode fazer consultas diárias e rotineiras a fim de controlar os gastos;

- Negocie os pontos adquiridos com as compras em cartão de crédito. O consumidor, mesmo sem saber, pode estar deixando "dinheiro na mesa";

- Utilize sites confiáveis e tenha cuidado com ofertas enviadas por SMS, e-mail´s ou whatsapp. Podem ser fraude para coletar seus dados pessoais e bancários.