Transformação Digital

Entenda como o Big Data pode ser usado nas eleições

Conceito do Big Data está relacionado ao volume de dados que são produzidos a todo instante, não importando se em ambiente online ou offline

Especial de Conteúdo
- Atualizada em


Foi-se o tempo que o Big Data era considerado uma novidade. Atualmente, ele tem se tornado uma ferramenta muito importante para segmentos como tecnologia, marketing e facilidades em nosso dia a dia. O próprio surgimento das cidades inteligentes necessita de uma análise rápida e detalhada dos dados que criamos a todo o mundo, com o uso da internet.

Assim como o Big Data pode ser utilizado para o desenvolvimento de programas e soluções que melhorem o nosso cotidiano, há um segmento que tem recorrido bastante a ele nos últimos tempos: o campo da política. O uso dos dados para campanhas eleitorais não é uma novidades exclusiva deste ano, mas as eleições de 2018 tem aplicado essa análise com muita precisão e, consequentemente, obtendo resultados significativos para as campanhas.

Mas por que o Big Data tem tanta importância assim no processo eleitoral? O conceito do Big Data está relacionado ao volume de dados que são produzidos a todo instante, não importando se em ambiente online ou offline. A quantidade de dados gerados aumentou bastante com o desenvolvimento tecnológico e tornou-se necessário a criação de ferramentas e dispositivos mais potentes para realizar uma análise rápida desses dados.

Foto: Reprodução/ Agência Brasil

“Big Data é um tratamento que se dá a um grande volume de dados. A definição mais apurada desse termo acontece através dos seus 4 V’s. Assim, nós dizemos que os dados vem numa grande velocidade, variedade e em volume. E é preciso compreender a veracidade desses dados, ou seja, se eles estão certos”, explica Genaro Costa, especialista em computação de alto desempenho da Atos, líder mundial em transformação digital.

Assim, o Big Data permite a análise de conjunto de informações de maneira simultânea. O objetivo dessa análise é obter insights, ou seja, dados acionáveis, que guiam a tomada de decisões ou criação de estratégias. Nas campanhas eleitorais, esses insights são utilizados para guiar a resposta de um candidato às mudanças de cenário e à resposta do eleitorado às suas ações.

Uso estratégico
Além dos insights, o Big Data pode ser usado na campanha eleitoral de maneira a permitir que o candidato e sua equipe entreguem mensagens personalizadas para os seus eleitores. Através dos dados, é possível a criação de anúncios personalizados, que passam a mensagem de que foram feitos apenas para aquele eleitor que está tendo contato com ele. Isso aproxima o candidato do seu potencial eleitor, possibilitando uma versatilidade do candidato para lidar com um grupo demográfico e particular.

Com uma análise de dados também é possível ao candidato e sua equipe perceber quais os seus pontos fracos, possibilitando uma mudança para se adequar ao o que o seu eleitor espera. Isso proporciona uma melhor interação com o seu eleitor e facilita a conquista de novas pessoas. E lembre-se: na eleição mais votos é sinônimo de maior chance de ser eleito.

O Big Data Analytics teve uma participação efetiva nas estratégias de campanha da equipe de Obama. “A aplicação é estruturada para capturar as opiniões sobre políticos, temas socioeconômicos, demandas da população permitindo investigar a percepção dos internautas durante um determinado período. A arquitetura desse sistema é baseada, sobretudo, por um cluster Hadoop, o qual será responsável por receber e armazenar as mensagens coletadas em redes sociais como Twitter, Facebook, Google+, LinkedIn etc”, explica Rachel Horta, especialista em tecnologia da informação e serviços.

Uso do Big Data é vantajoso para as campanhas
Para quem trabalha nas campanhas eleitorais, o uso do Big Data reserva muitas vantagens. A análise dos dados serve de ajuda para que marqueteiros e assessores dos candidatos estudem a eficácia da mensagem que o candidato manda para os seus eleitores. Assim, o uso do Big Data pode alertar para a necessidade de mudar a forma como determinados assuntos são abordados na campanha.

Com uma análise de dados detalhada, o candidato consegue entender qual região da cidade, estado ou país carece mais em determinado tópico e, assim, criar estratégias para angariar votos. Por exemplo: através do Big Data, um candidato consegue perceber quais os lugares onde a educação está mais carente e direcionar seus discursos sobre o tema para essa região. Um acerto no tom e no conteúdo da mensagem é primordial para o candidato conseguir mais votos.

Através do uso do Big Data, o candidato e sua equipe podem ainda confirmar pesquisas e realizar suas próprias prévias internas, descobrir novas fontes de financiamento privado e identificar formadores de opinião que possam contribuir para uma conversão de voto.