Viver Cabula

Diversidade religiosa faz parte da realidade do Cabula

No bairro, há a presença de igrejas católicas, centros espíritas e terreiro

Especial de Conteúdo


Oferecimento
Em um bairro múltiplo como o Cabula, não poderia ser diferente: religiões diferentes convivem e dividem espaços na região. Sendo um dos bairros mais populosos e procurados de Salvador, o Cabula reúne igrejas católicas, centros espíritas e terreiro.

Entre as igrejas católicas, está a Paróquia Nossa Senhora do Resgate, no bairro do Cabula, criada em 20 de janeiro de 1983 pelo então Arcebispo Primaz D. Avelar Brandão Vilela. Com um cronograma cheio, a paróquia possui atividades todos os dias. A Capela Divina Misericórdia, por exemplo, tem uma agenda de atividades intensa. Localizada na Rua Numa Pompílio Bittencourt, no Jardim Brasília, a capela tem atividades religiosas de segunda à sexta-feira.
Foto: Reprodução / Google Maps
Outra igreja é a Ceia do Senhor e Santo André Apóstolo, que também disponibiliza de missas mais de uma vez na semana – noites de segundas e quintas, e manhãs de domingo. Ela está localizada na Rua Teódulo de Albuquerque, no Cabula VI.

Na região, ainda tem a Paróquia de São Gonçalo do Retiro, que abriga 9 Comunidades Eclesiais de Base na região do Cabula e também no bairro do Retiro. Ela está situada na Rua São Gonçalo e foi criada pelo Dom Eugênio Araújo Cardeal Sales, em 29 de setembro de 1966. A Paróquia de São Gonçalo do Retiro gerou outras três paróquias para a Arquidiocese: Nossa Senhora do Resgate (1983), Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em Mata Escura (1987) e Ceia do Senhor – Cabula VI (2009).

Centros espíritas
Os moradores do Cabula e região encontram algumas opções de centro espíritas na região. O Grupo Espírita Porto da Alegria, na rua Cristiano Buys; a Casa do Evangelho, Trabalho e Amor, na Rua Águas Cristalinas; o Núcleo Espírita Francisco de Assis, na Rua Conde Pereira Carneiro; a Centro Espírita A Rosa da Paz, na Rua São João; a Casa do Caminho, na Avenida Ulysses Guimarães; e o Centro Espírita Irmãos de Luz, na Estrada das Barreiras.

Ilê Axé Opó Afonjá
O terreiro Ilê Axé Opó Afonjá na Rua Direta de São Gonçalo do Retiro, na casa de número 557, no bairro do Cabula, foi criado em 1910, há 108 anos, Eugênia Anna Santos (a Mãe Aninha Obá Biyi). O local permanece vivo e em funcionamento até hoje e já foi tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 28 de julho de 2000.

Também conhecida como Casa de Xangô, o terreiro se tornou o segundo templo de cultura afro-brasileira a receber o status de patrimônio nacional – o que mostra a sua importância não apenas em Salvador, mas em todo o Brasil.

Além do templo religioso, o local abriga edificações de uso habitacional, a Escola Eugênia Anna dos Santos, o Museu Ilê Ohum Ilailai e a Biblioteca Ikojppo Ilê Iwe Axé Opô Afonjá.