Viver Cabula

Gosta de História da Bahia? Conheça a tradição e resistência do Cabula

O atual bairro foi povoada por povos africanos que vieram de países como Angola e Congo

Especial de Conteúdo

Oferecimento

 O Cabula hoje é um dos bairros centrais de Salvador. Mas sua história não é nem um pouco recente. A área foi povoada por povos africanos que vieram de países como Angola e Congo, e que tocavam e dançavam um ritmo quicongo religioso, conhecido como kabula. E foi justamente essa dança que deu o nome ao bairro.

No bairro havia muitos terreiros e sacerdotes. Uma história marcante desse período é a da sacerdotisa Nicácia, que tinha muito prestígio. Ela foi presa a mando do governador da Bahia da época João de Saldanha da Gama Melo Torres Guedes Brito por exercer as suas funções sacerdotais. Ela, então, foi presa e levada do Cabula para a então chefatura de polícia, localizada no Centro de Salvador. Lá ela foi exposta ao escárnio público. O caso aconteceu na década de 1790.
Décadas depois, os nagôs também começaram a se alojar na região. Em 1910, foi fundado e plantado o terreiro mais antigo da região, chamado de Ilê Axé Opô Afonjá, que ficava situado na comunidade de São Gonçalo do Retiro. A fundação do terreiro foi feita por Obá Biyi (Eugênia Ana dos Santos, também conhecida como Mãe Aninha).

Foto:Reprodução/SkyScraperCity

Cabula agrícola

No século XIX, o bairro foi ocupado por chácaras produtoras de laranja-da-baía ou laranja de umbigo. Essa subespécie da laranja não tem semente e se reproduz assexuadamente, por meio de mudas e enxertia. Em 1873, o fruto foi levado para técnicos de citricultura na Califórnia, nos Estados Unidos. A partir daí, ele foi se tornando conhecido não apenas nos Estados Unidos, mas também em outras partes do mundo, com o nome de Washington Navel.



A partir de 1910, a prefeitura passou a vender terras na região. Uma população começou a arrendar terras na região onde hoje está localizada a Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e a Estrada das Barreiras. Com o tempo, eles foram comprando essas terras.

O declínio das plantações de laranja-da-baía aconteceu entre os anos de 1940 e o início da década de 1950, quando foram atingidas por inúmeras pragas. Isso colaborou para que muitas das chácaras que estavam instaladas no local fossem vendidas ou parcelas.

Atualmente

Mais mudanças acontecem na década de 1970, quando a urbanização começou a chegar na região do Cabula. A expansão horizontal se intensificou na região e o Cabula e surgiram diversos condomínios residenciais.

Com o passar dos anos, o bairro começou a receber um público de classe média e de edifícios variados, com casas de 1 e 2 pavimentos e prédios de 4 pavimentos. Em 1983, foi fundada a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), cujo campus de Salvador fica localizado no bairro. A chegada de condomínios na região foi atraindo também o comércio e outros serviços, como escolas e mercados.

Foto: Reprodução/JVF


A partir de 2007, o bairro começou a passar por uma nova transformação em sua ocupação. O aumento da demanda levou até a região empreendimentos mais verticais, com mais de 10 pavimentos. Em 2012, aconteceu a inauguração do Shopping Bela Vista – o primeiro dos empreendimentos que formam o Horto Bela Vista, um grande empreendimento que se instalou no entorno da Ladeira do Cabula. Com isso, o bairro ganhou mais opções de sérvios e uma variedade de lojas em sua região. A inauguração da Estação do Metrô do Acesso Norte também facilitou o transporte dos moradores para outras regiões da cidade.

O Cabula faz parte da Região Administrativa XI, também chamado de Cabula, de acordo com o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Salvador. Os bairros que fazem parte dessa região administrativa são Cabula, Resgate, Pernambués, Saramandaia, Narandiba, Doron, Saboeiro e São Gonçalo.