Viver Vitória da Conquista

Museus e monumentos ajudam a contar a história de Vitória da Conquista

Pontos turísticos e museus importantes da cidade fazem parte do turismo

Especial de Conteúdo
- Atualizada em

Seguir um roteiro turístico em Vitória da Conquista envolve aprender muito sobre história. Pontos turísticos e museus importantes da cidade fazem parte do turismo e ajudam a contar a história do local.

Um dos principais museus da cidade, o Museu Regional de Vitória da Conquista, funciona onde era a Casa Henriqueta Prates, construída há mais de cem anos. Desde 1991, a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) criou na casa o serviço do museu.

Foto: Divulgação
O Museu tornou-se importante fonte de pesquisa na cidade. Uma das salas do local recebe o nome de Glauber Rocha, e conta com documentação em vídeos e documentários, fotografias, livros e jornais sobre o cineasta conquistense.

Localizado no alto da Serra do Peri Peri, o Museu Cajaíba guarda esculturas confeccionadas com cimento e ferro pelo artista-plástico Aurino Cajaíba. O museu ocupa uma área de 6 mil m² ao ar livre e traz obras inspiradas na história do Brasil.

Outro local que pode ser incluído em um roteiro turístico é o Memorial Governador Régis Pacheco. Há dez anos, o casarão, que foi moradia do então médico, foi aberto à visitação público, após ter passado por um processo de restauração. Desde então, o local – tombado – sedia eventos culturais, como lançamentos de livros, exposições e oficinas.

Monumentos
Além dos museus, monumentos espalhados pela cidade fazem homenagens a nomes da história da cidade e do Brasil. São eles:

Monumento aos Ex-Pracinhas da Segunda Guerra Mundial
Inaugurado em 1992, na praça Sá Barreto, em frente ao Tiro de Guerra, o monumento presta uma homenagem aos ex-combatentes da Segunda Guerra Mundial, especialmente aos conquistenses que foram convocados ou se apresentaram voluntariamente para participar do conflito. O monumento foi idealizado pelo escultor Cajaíba.

Vai lá: Rua Joao Pessoa 921 1017

Monumento aos Bandeirantes
Feito em marmorite, o monumento foi construído na gestão do governador Régis Pacheco e inaugurado em 13 de novembro de 1940. Faz uma homenagem aos primeiros sertanistas da região, especialmente a João Guimarães Costa e José Gonçalves da Costa, portugueses responsáveis pela fundação da vila. Seu nome oficial é Monumento aos Fundadores da Cidade.

Vai lá: Rua Ademar G – Centro, Praça 9 de Novembro

Monumento aos Imigrantes
O Monumento aos Imigrantes é formado por uma grande estátua de concreto com armadura em ferro, tendo do lado esquerdo, na altura do coração, o mapa de Vitória da Conquista. O monumento presta uma homenagem a todas as pessoas que não nasceram em Conquista, mas que adotaram a cidade. Também representa o agradecimento do povo conquistense àqueles que vieram de outros lugares e ajudaram a desenvolver o Município. Foi construído na gestão Murilo Mármore. O nome oficial é Monumento aos Chegantes.

Vai Lá: Praça Joaquim Correia, 55 - Centro
Foto: Divulgação

Monumento aos Mortos e Desaparecidos Políticos da Bahia
O Monumento aos Mortos e Desaparecidos Políticos da Bahia foi edificado na praça Tancredo Neves e inaugurado em 9 de julho de 1998, por iniciativa do Grupo Labor – Assessoria, Documentação e Pesquisa. O monumento presta homenagem àqueles que foram submetidos aos horrores da Ditadura Militar, instalada no Brasil em 1964. Traz uma figura humana vazada, dando o sentido de ausência. A arte é dos conquistenses Romeu Ferreira e Ana Palmira Cassimiro.

Vai Lá: Praça Tancredo Neves, Centro

Monumento a Getúlio Vargas
O monumento a Getúlio Vargas foi erguido na Serra do Marçal, à margem da Rodovia Ilhéus – Lapa, a 18 km da zona urbana de Vitória da Conquista. Marca a inauguração desse trecho da rodovia, realizada no dia 31 de agosto de 1950. A solenidade contou com a participação do então presidente Getúlio Vargas Além do busto de Vargas, o monumento tem a expressão “O verdadeiro sentido da brasilidade é a marcha para o oeste”.

Vai Lá: Praça Joaquim Correia, 55 – Centro

Monumento ao Índio
Localizado na praça Caixeiros Viajantes, o Monumento ao Índio foi inaugurado em 5 de junho de 2000. Presta uma homenagem aos povos indígenas, especialmente aqueles que habitaram a região de Vitória da Conquista e que foram dizimados pelos colonizadores. Trazendo um elemento típico do cotidiano indígena – a flecha –, o objetivo é lembrar a riqueza histórica, cultural e humana dos índios. A construção do monumento foi pensada pelo Movimento Contra a Morte Prematura, com idealização e assinatura do artista plástico Edmilson Santana.

Vai Lá: Praça Joaquim Correia, 55 – Centro

Monumento aos Dez Mandamentos
Localizado na praça Estevão Santos, foi construído em 1982 pela Igreja Adventista do Sétimo Dia. A intenção é contrastar a Lei de Deus com a Lei dos Homens, já que o monumento foi erguido em frente ao Fórum João Mangabeira.

Vai Lá: Praça Estevão Santos

Cristo de Mário Cravo
Erguido no alto da Serra do Periperi, foi inaugurado em 1980. Além da mensagem religiosa, a imagem de Cristo, com feições nordestinas, lembra a situação econômica e social da população sertaneja, que sofre com a seca, a fome, o trabalho duro e a miséria. A obra é do escultor Mário Cravo.

Vai Lá: Serra do Periperi