Xô Mosquito

Bairros de Salvador passam por ‘limpeza’ para combater o aedes aegypti

Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) orienta que municípios realizem ações de limpeza dos bairros

Especial de Conteúdo
- Atualizada em

Oferecimento
Embora a pandemia do novo coronavírus tenha se tornado a principal questão de saúde pública em Salvador e em todo o estado da Bahia, , as arboviroses transmitidas pelo aedes aegypti seguem existindo, demandam muito cuidado e, por isto, contam com a fiscalização do governo do Estado.

Para o controle da doença, que costuma ter surtos em períodos chuvosos, a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) orienta que municípios realizem ações de limpeza dos bairros. 

Em Salvador, as oscilações climáticas da estação possibilitam ainda mais a criação de focos e proliferação do mosquito. Em parceria com equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), bairros da cidade como Bairro da Paz, Caminho das Árvores e as localidades de Periperi, Congo e Fazenda Coutos, no Subúrbio Ferroviário, receberam mutirão de limpeza, que incluem vistoria, pulverização de inseticida e recolhimento de lixo. 


Neste ano, a capital baiana vem recebendo a ação de pulverização de inseticida, através de um carro fumacê, em diferentes localidades, em razão do cenário epidemiológico de dengue, zika echikungunya. 

Faça sua parte

Apesar do monitoramento e ações nos bairros por parte do poder público, a luta contra o aedes aegytpi é de todos. Eliminar os focos nas residências é a maneira mais eficiente de combater o mosquito e, consequentemente, a dengue, Chikungunya e zika. 

A maior parte dos criadouros do mosquito está em residências e seus ovos podem resistir até dois anos em ambientes secos. O que significa que, caso haja uma garrafa ou jarro, por exemplo, destampados, o ovo pode ficar durante todo esse período esperando para eclodir, ou seja, quando chover. Por isso é necessário manter esse tipo de recipiente fechado, para não gerar o acúmulo de água e consequentemente a transmissão da doença através do mosquito.

É preciso que a população evite descarte irregular de lixo e fique atenta ao acúmulo de água em locais como calhas, pneus velhos, garrafas, além de manter quintais sempre limpos e observar se os jarros de flores e plantas estão acumulando líquido.