Xô Mosquito

Pesquisa indica que brasileiro sabe como se proteger da Dengue, mas não adota medidas

Minoria adota medidas de prevenção pessoais, como o uso do repelente

Especial de Conteúdo

Oferecimento
Não deixar água parada em vasos, pneus e garrafas, não jogar lixo em terreno baldio, limpar as calhas, usar repelente, entre outras, são ações para eliminar os focos do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, além da Chikungunya e Zika. Essas medidas de prevenção já são de conhecimento dos brasileiros, no entanto falta a adoção delas. É o que mostra uma pesquisa online feita pelo Ibope a pedido da Cruz Vermelha Brasileira, em janeiro deste ano, que coletou informações sobre o comportamento de 3.165 pessoas de todas as regiões do país.

De acordo com a pesquisa, 81% dos brasileiros se declara bem informada sobre as medidas contra o mosquito Aedes Aegypti, no entanto, a minoria adota medidas de prevenção pessoais, como o uso do repelente. Apenas 16% usa inseticida aerossol, 18% adere ao repelente elétrico líquido e 41% usa o produto específico para o corpo.

Em relação à água parada em casa, a pesquisa indicou que essa é a forma de prevenção mais disseminada, já que 89% das pessoas disseram verificar isto, mas ainda é uma minoria que faz isso todos os dias, equivalente a 48%.  No entanto, a frequência com que são feitas ações preventivas é essencial, uma vez que após o mosquito fêmea colocar os ovos, já existe risco de contrair a doença, ou seja, não adianta fazer a limpeza de uma caixa d’água, por exemplo, apenas a cada um mês.

A baixa adesão das pessoas às medidas de prevenção preocupa, já que 80% dos focos do mosquito estão dentro de casa. Apesar disso, apenas 4% das pessoas acreditam não correr o risco de contrair dengue e há quem pense isso, de acordo com a pesquisa, por morar em andares altos de prédios. No entanto, se não pode chegar em um andar alto voando, o mosquito pode subir no elevador ou na roupa das pessoas, por exemplo. Ou seja, todo cuidado é essencial.