Xô Mosquito

Quais cuidados tomar em período de surto da dengue, chikungunya e zika?

De janeiro a agosto deste ano, em comparação ao mesmo período de 2019, os números das três doenças subiram na Bahia

Especial de Conteúdo
- Atualizada em

Oferecimento
A Bahia vive um período de surto de dengue, chikungunya e zika vírus. Transmitidas pelo mosquito aedes aegypti, os números da doença cresceram no estado em 2020, entre janeiro e agosto, se comparado com o mesmo período no ano anterior.

De acordo com informações divulgadas pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) no último boletim epidemiológico, a incidência de casos da dengue cresceu em 30,9% e da zika 44,5%, ambas se comparado a 2019. No entanto, o que chama mais atenção é o crescimento de casos de chikungunya no estado. 

Neste período de 2020, os números da doença cresceram 316,5% na Bahia. De acordo com a secretaria, são mais de 36 mil casos prováveis da doença. 

Diante desse surto, quais os cuidados que devemos tomar? 

É preciso reforçar os cuidados em casa e na rua. Isso porque as casas podem ter muitos potenciais criadouros e a principal maneira de prevenção contra as doenças é, justamente, evitar a proliferação do mosquito. 

Por exemplo, nas calhas e na laje, não deixe que acumule água da chuva. Se for guardar pneus velhos, retire a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva. E se sua casa tiver piscina, mantenha-a limpas e cloradas.

Você pode evitar a proliferação também eliminando as larvas que posteriormente virarão o mosquito aedes aegypti. 

Mas como faço para identificar uma larva? Uma dica para reconhecê-las é através da luz. De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), os mosquitos que transmitem a dengue têm fotofobia, ou seja, eles fogem da luz. Por isso, uma saída eficiente para tirar a dúvida é usar uma lanterna para iluminá-las. Se elas fugirem, é porque são larvas do aedes aegypti.

Para eliminá-las, basta virar a água no chão, onde houver terra ou grama, já que as larvas não sobrevivem em ambientes secos.

Além da eliminação de potenciais criadouros, nós podemos nos proteger fazendo uso de algumas barreiras mecânicas, principalmente nesses períodos de surto e em locais com alto índice de casos. 

Durante o dia, opte por roupas de manga longa e mais claras, para diminuir sua exposição ao mosquito. Evite deixar portas e janelas abertas no nascer e no pôr do sol, momento em que os mosquitos costumam entrar nas residências. 

Além disso, faça uso do repelente também em zonas urbanas. Garanta que o repelente utilizado é registrado pela Anvisa e tenha atenção às instruções dos rótulos do produto.

Não aplique o produto mais de três vezes por dia e, se possível, tire o repelente do corpo antes de dormir e se proteja com telas e cortineiros.