Xô Mosquito

Repelente é uma barreira contra o mosquito da Dengue; saiba quando e como usar

Produto pode ser utilizado desde que seja registrado na Anvisa e com os cuidados e precauções descritos nos rótulos

Especial de Conteúdo
- Atualizada em

Oferecimento
O combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da Dengue, além da Chikungunya e Zika, passa por ações individuais. Um exemplo disso é que entre as medidas de prevenção contra doenças transmitidas por este mosquito está a aplicação de repelentes. Este tipo de produto pode ser utilizado desde que seja registrado na Anvisa e com os cuidados e precauções descritos nos rótulos.

Os repelentes tópicos, ao serem aplicados na pele, precisam evaporar para garantir a camada de proteção. Os produtos fabricados com DEET, IR3535 e Icaridina são capazes de afastar os mosquitos mais comuns, que transmitem doenças para os seres humanos, que é o caso do Aedes Aegypti.

As principais diferenças entre os três tipos de repelentes tópicos são o tempo estimado de ação e a partir de que idade é recomendado a utilização, por isso é essencial ficar atento ao rótulo. 

Os repelentes devem ser aplicados nas áreas expostas do corpo e podem ser borrifados por cima da roupa. É importante reaplicar de acordo com as instruções do produto. Lembre-se sempre de lavar as mãos com água e sabão após a aplicação, para evitar contato do repelente com os olhos.

Quando e como usar?

Muitas pessoas pensam que só devem utilizar repelente quando forem viajar para áreas de mato ou zonas rurais, por exemplo. No entanto, a dermatologista Irene Spínola destaca a necessidade de proteção também em zonas urbanas, por conta do aumento do número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti. 


De acordo com a médica, idosos, em especial, precisam ficar atentos ao uso do repelente, já que nessa faixa etária há maior possibilidade de complicação dessas doenças. 

Mas como usar o repelente de maneira correta garantindo a proteção? A especialista destacou alguns pontos que devemos ficar atentos:

- Garantir o uso de um repelente que seja registrado na Anvisa, ou seja, produtos fabricados com DEET, IR3535 e Icaridina. Métodos caseiros não têm eficácia comprovada e possuem baixa duração; 


- Ter atenção e seguir as instruções dos rótulos dos produtos;


- Não aplicar o repelente mais de 3 vezes ao dia; 


- Bebês menores de 6 meses não devem utilizar repelentes. Nesses casos, roupas, telas e cortineiros fazem a proteção;


- Grávidas e crianças de 6 meses a 2 anos devem usar Icaridina, que tem uma duração de 12 horas;


- A aplicação correta do repelente é após o protetor solar e após colocar a roupa;


- Se puder, tire o repelente do corpo antes de dormir e se proteja com telas e cortineiros; 


- Não é necessário aplicar diretamente no rosto, podendo ser borrifado em áreas periféricas como pescoço e cabelo, devido ao raio de ação do repelente.