Futebol

Bruno se defende: "não sou bandido"

Goleiro, que espera julgamento em liberdade, tem contrato de dois anos com o Boa

Redação Goal
- Atualizada em

Um dia depois de se apresentar ao Boa Esporte como reforço para as duas próximas temporadas, o goleiro Bruno, concedeu entrevista exclusiva aos canais ESPN, em Varginha, e falou sobre o retorno ao futebol, a repercussão negativa do seu acerto, e até mesmo sobre a condenação pela morte de Eliza Samudio.

”Dói, machuca e eu estou acostumado a lidar com a pressão. Se eu não suportar, posso pegar minhas coisas e ir embora. A pessoa que sai do mundo onde eu estava (prisão) e pede oportunidade é para não se tornar bandido. Não sou bandido. Cometi um erro. Grave? Grave. (...) Foi um choque para o Brasil inteiro, mas eu peço uma oportunidade de recomeçar a vida. Quando um pedreiro ou motorista saem, eles vão voltar para isso. A única coisa que eu sei fazer na vida é jogar futebol, por isso, não posso largar meu sonho. Peço oportunidade para as pessoas reverem, não vou parar, vou dar sequência à minha carreira, cara, eu vou, tenho coragem, o pior da minha eu passei.”, afirmou.


Bruno cumpriu seis anos e sete meses da pena de 22 anos e três meses (17 em regime fechado), e está livre graças à um habeas corpus deferido pelo STF. O goleiro deixou a prisão no dia 24 de fevereiro. Veja outros pontos da entrevista:

Arrependimento

“Cara, o que passou, passou. Você tem que se arrepender das coisas do passado e se tornar uma pessoa melhor. Não é porque você está no fundo do poço que tem que ficar lá, não. Se tem pessoas estendendo a mão para subir, você tem que subir. Mas como cumprir uma pena se eu era um preso provisório? Eu penso assim, da mesma forma que a justiça foi feita contra mim, uma hora tem que ser feita a meu favor, também”. (...) É uma mancha que vou carregar para o resto da minha vida”. (...) Pedi perdão a Deus, tive momento único com Deus"

Comparação com Edmundo

"O goleiro, na minha profissão, é uma pessoa centrada, tem que ser frio. Vou citar o caso de Edmundo, passou a carreira toda tentando superar, não sou a pessoa mais capacitade para julgar. É um cara que pego como exemplo. Dentro do estádio, vou ouvir muitas coisas? Vou."

"Não estou comparando caso e caso. Não existe pecadinho e pecadão. Tudo é pecado."

Seleção Brasileira

"Não disse que chegaria à seleção. Foram palavras colocadas por vocês da imprensa. Sonhar nunca é demais. Estou muito tranquilo. Quero fazer meu trabalho aqui, no Boa Esporte. Só quero trabalhar. Pedi às pessoas um pouco de paciência ."

Goleiros do Boa Esporte

"Boa Esporte hoje está bem servido de goleiros, dois outros novos, rápidos e potencial enorme. Hoje, chego para disputar posição com eles. Vou tentar mostrar meu trabalho, ganhar confiança do treinador e disputar posição. Os meninos estão voando. Com muito respeito, vou brigar pela titularidade."

Veja Mais