Carros

Chery QQ: rodamos 700 quilômetros no carro mais barato do Brasil

Testamos o modelo ACT que é o topo de linha. Aparentemente pequeno por fora, surpreende na parte interna

Fábio Cota* (fabio.cota@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Em tempos de crise o consumidor vai tentando o melhor custo-benefício em suas aquisições. Quando se trata de um automóvel, não é diferente. A expressão “o carro mais barato do Brasil” soa como música e é assim que o modelo QQ da chinesa Chery, montado em Jacareí, interior de São Paulo, se apresenta. Testamos o modelo ACT que é o topo de linha. Aparentemente pequeno por fora, surpreende na parte interna. Com exceção do porta-malas com capacidade de 160 litros, a parte de ocupantes acomoda 5 pessoas tranquilamente.

Foto: Divulgação
O acabamento interno do bem humorado QQ condiz com o preço. O porta-luvas não tem tampa, mas os equipamentos são interessantes. Luzes diurnas, rádio com entrada USB (2 alto-falantes), sensor traseiro de estacionamento, travas, retrovisores e vidros elétricos nas 4 portas, rodas de liga leve, limpador e desembaçador traseiros.

O Câmbio manual de 5 velocidades tem encaixes suaves. O Motor 1.0 Flex de 74/75 cavalos (gasolina/etanol) anda bem e também é bom em retomadas. O consumo médio, na cidade, com gasolina, segundo o Inmetro, é de 11,9 km/l e na estrada 13,1 km/l.  A autonomia não se estende muito por conta dos 35 litros de capacidade do tanque de combustível.
Foto: Divulgação
A suspensão dianteira é macia, mas a traseira é rígida, o que compromete um pouco a estabilidade do carro. Com a necessidade cada dia maior de mobilidade urbana, o QQ vai bem na hora de estacionar e é valente mesmo quando carrega peso se precisar ir às compras.

A ergonomia é um pouco diferente e acaba demorando mais tempo pra adaptação. Pinos das travas elétricas nas portas e comandos dos vidros elétricos no console central são alguns dos responsáveis por essa dificuldade de acostumar.
 
As versões do Chery QQ são a de entrada, Smile, R$ 25.990,00, a Look, intermediária, que sai por R$30 mil e a ACT que testamos, que sai por R$31.490,00.


* Radialista profissional há 31 anos e especialista em veículos. Apresentou diversos programas do segmento nas emissoras de rádio e TV na Bahia e Sergipe