Brasil

'Escapei por milagre', diz mulher empurrada na frente de metrô

Ela levou 30 pontos na perna, mas já teve alta. Agora, pede justiça

Redação Correio 24 horas

A auxiliar administrativa Jussara Araújo de Souza, 23 anos, levou 30 pontos na perna esquerda e ficou com hematomas pelo corpo depois de ser empurrada por um desconhecido em frente a um trem em uma estação de metrô de São Paulo. "Nem tive tempo de me mexer, que o metrô chegou. Do jeito que eu caí, fiquei. Na hora eu pensei: 'morri'. Aí passaram quatro vagões em cima de mim e constatei que escapei por um milagre", conta ela ao Uol. "Do jeito que ele me jogou, era para o trem ter passado por cima de mim".

O incidente aconteceu pouco antes das 15h de ontem (horário de Brasília). Jussara ia de metrô para o trabalho na praça Marechal Deodoro e aguardava o trem quando foi empurrada pelo auxiliar de limpeza Sebastião José da Silva, 55. Ele foi preso em flagrante. 

Jussara caiu no fosso sobre o qual trafegam os vagões do trem. Ela conseguiu ser resgatada rapidamente e foi levada ao hospital Arthur Ribeiro de Saboya, de onde teve alta ainda ontem á noite. 

Ela conta que não conhecia o agressor e afirma que não disse nada a ele antes do episódio. "Me impressiona como uma pessoa dessa, aparentemente com problemas mentais, passa pelas catracas do transporte livremente. Não consigo mais me sentir segura pegando metrô, tanto que eu deveria ter ido hoje à delegacia e não consegui, porque tenho que pegar de novo o metrô e não tive coragem", diz. 

Jussara mora com o marido e três filhos, todos com menos de 6 anos, em Americanópolis, na região sul de São Paulo. Ela diz que não sabe explicar o sentimento que tem pelo agressor, mas espera que a justiça seja feita. "Se ele fizer de novo com alguém o que ele fez comigo, pode ser que essa pessoa não tenha a mesma sorte que tive", diz.