Trânsito

Mobilidade em Salvador terá integração entre trilhos e BRT

Um dos modais para o sistema será uma das propostas de transporte sobre trilhos que, além do metrô, pode ser monotrilho e VLT

Da Redação (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Veículo sobre trilhos e BRT. Esses foram os projetos escolhidos para integrar o plano de mobilidade urbana de Salvador, para a Copa de 2014. O anúncio foi feito pelo secretário estadual de Planejamento, Zezéu Ribeiro, durante uma coletiva no auditório da Secretaria de Planejamento.


Diferente do que foi comentado anteriormente, pelo ministro das Cidades, Mário Negromonte, um dos modais para o sistema não contempla o metrô, especificamente, mas uma proposta de transporte sobre trilhos que, além dele, ainda será definido entre o monotrilho e o VLT. A proposta em trilho fará a ligação entre Rótula do Abacaxi até Lauro de Freitas, pela Avenida Paralela. Já o Bus Rapid TransitBRT ( BRT - Corredores de ônibus) será usado nas demais vias como as avenidas Pinto de Aguiar e Vasco da Gama, como havia informado Negromonte.


De acordo com a assessoria do governo do estado, o próximo passo para a implantação do projeto de mobilidade da região metropolitana é a realização audiências públicas com a sociedade. A previsão é que em 45 dias comece a ser elaborado o edital de licitação para definir as empresas que executarão as obras. Até o fim do ano, a obra deve ser contratada e, no início de 2014, concluída.


O eixo principal que cortará a cidade levando os usuários até Lauro de Freitas será um transporte sobre trilhos, a definir. Conheça as propostas iniciais:


Monotrilho


O projeto propõe 25 quilômetros de monotrilho, ligando o Acesso Norte ao Aeroporto, com ligações que entra no Iguatemi, Pituba e Itaigara. O veículo que corre sobre trilhos em uma estrutura com certa de 36 metros apoiadas por pilastras. É movido com eletricidade como os metrôs e tem capacidade para transportar 49 mil passageiro por hora, no horário de pico. A tarifa deve custar em média R$1,03.





Metrô


Uma das propostas do sistema ligaria o Aeroporto Internacional Luis Eduardo Magalhães à Avenida Bonocô, onde seria integrado ao trecho que já existe. Os 20,5 quilômetros novos seriam construídos no nível do solo. A capacidade do sistema é de atender um total de 1,2 milhão de pessoas por hora. O custo total seria de R$ 3 bilhões, mas incluiria também manutenção de equipamentos urbanos, paisagismo da via e a implantação de ciclovias. O bilhete custaria R$ 3,55 e valeria por duas horas. Outra proposta para o metrô, prevê um custo de R$ 2,9 bilhões e o valor da passagem integrada com o ônibus ficaria em R$ 3,10, mas teria ajuda de subsídios do governo para se manter neste valor.



VLT

O veículo leve sobre trilhos (VLT) é capaz de transportar até 750 passageiros por veículo de modo seguro, rápido, confortável, utilizando energia limpa. O projeto seria integrado ao futuro metrô de Salvador, com os trilhos instalados sobre a grama da Avenida Paralela. Automatizado, garante ainda mais pontualidade.






BRT


Em uma das propostas, o BRT iria de Lauro de Freitas até o Subúrbio Ferroviário, em vias exclusivas. Seriam três tipos de veículos: os expressos iriam do início ao fim do percurso sem parar, os semi-expressos parariam em pontos estratégicos e os convencionais parariam em todos os pontos. A integração permitiria que o usuário transferisse de modalidade com a mesma passagem. O projeto também envolve construção de viadutos, passarelas e passagens subterrâneas. A capacidade inicial seria de 18 mil passageiros por hora. atingindo 38 mil em 2039. São 75 quilômetros de vias e orçamento de R$ 2 bilhões. Numa segunda etapa, está prevista a substituição dos trens do Subúrbio.


Comentários