Bahia

Vigilantes decretam greve por tempo indeterminado; museus fecham

Decisão foi deflagrada pelo sindicato baiano nesta terça-feira (10)

Redação iBahia

O Sindicato dos Empregados de Empresas de Segurança e Vigilância do Estado da Bahia (Sindvigilantes) deflagrou nesta terça-feira (10) a greve dos vigilantes em todo o estado baiano por tempo indeterminado. Por causa da decisão, o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) manterá os oito museus pertencentes a ele fechados.

São eles: Museu de Arte Moderna da Bahia; Museu de Arte da Bahia; Palacete das Artes; Centro Cultural Solar Ferrão; Museu Tempostal; Museu Udo Knoff; Parque Histórico Castro Alves e Museu Recolhimento dos Humildes.

A decisão também pode afetar o funcionamento de bancos, universidades, hospitais, órgãos públicos e shoppings de toda a Bahia.

De acordo com informações do jornal CORREIO, a categoria reivindica aumento de 13% nos salários (sendo 8% correção da inflação de 2018 e 2019 e 5% de ganho real), além do do ticket alimentação subir de R$ 13 por dia para R$ 23. O patrões oferecem um aumento de 1,5% no salário como contraproposta.

Os vigilantes de reuniram nesta terça-feira (10), em frente ao sindicato, e devem realizar um ato no fim da tarde para avaliar as primeiras horas da greve. Ao CORREIO, o presidente do Sindicato dos Empregados de Empresas de Segurança e Vigilância do Estado da Bahia (Sindvigilantes) disse que chamou o Sindicato das Empresas de Segurança Privada (Sindesp) para negociação, mas até o momento nenhuma reunião foi marcada.