Oeste baiano tem maior chuva dos últimos 36 anos


A região de Barreiras, no Oeste Baiano, tem o janeiro mais chuvoso em 36 anos. Segundo o Climatempo, desde o dia primeiro já choveu 482mm, quando o esperado para o mês era cerca de 205 mm. A previsão para o final de semana também é chuva. Em algumas áreas da região o volume pode chegar a 70 mm.

Cidade de Santa Maria da Vitória sofre com fortes chuvas
(Foto: Blog Barreiras Notícias)

A prefeitura de Barreiras informou que o Rio Grande, afluente do São Francisco que corta a cidade, teve a maior cheia desde 1988. Famílias ribeirinhas que tiveram as casas inundadas ficaram desabrigadas. O cemitério da cidade de Santa Rita de Cássia, a 181 km de Barreiras, foi invadido pela água. Como 2016 é um ano de El Ninõ, fenômeno que esquenta as águas do Pacífico, era esperado tempo seco para o Nordeste nesta época. Mas o avanço de uma frente fria, aliada à baixa pressão atmosférica, é responsável pelo tempo chuvoso. De acordo com o Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia(Inema), as regiões mais castigadas do estado são: Oeste, chapada Diamantina , são Francisco, sul do sudoeste e norte. 

Na capital, a previsão é de pancadas persistentes  e espaçadas de chuva para o final de semana. Em Salvador o volume de precipitação esperada para o mês de janeiro era de 110mm, mas esse volume já chegou aos 125mm. 

</div> <div id=’passback-wb784045b29’></div>

Senhor do Bonfim
A Coordenadoria de Defesa Civil do município de Senhor do Bonfim, no Centro-Norte do estado, informou nesta sexta-feira (22) que desde o dia 12 de janeiro até hoje o volume de precipitação de chuva é de 370 milímetros. O valor é três vezes maior do que o mesmo período do ano passado. Ainda conforme o órgão, a previsão é de chuva com rajadas de vento para a tarde de sábado (23). Já o Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) divulgou que até o dia 21 de janeiro já havia chovido mais do que todo o mês de janeiro de 2015 na região. Segundo relatório da Defesa Civil, as chuvas dos últimos dias deixou 80% das estradas vicinais danificadas e causou 6 desabamentos de casas. O órgão afirma que são esperados mais 400 milímetros de chuva para os próximos dez dias. 

Correio24horas