Brasil

Catador de lixo é ofendido em lanchonete e consegue indenização de R$ 7000

Homem foi convidado a entrar em estabelecimento por cliente, mas expulso por empresário

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O catador de lixo Roberto Donizete Guedes, de 50 anos, resolveu brigar pelos seus direitos após ser chamado de "isso" e xingado por "cheirar mal", em Pouso Alegre, cidade de Minas Geras. De acordo com o 'Uol', três anos depois da denúncia, nesta semana, o homem recebeu a notícia de que receberá cerca de R$ 7.000 de indenização por dano moral.

O TJ-MG condenou a lanchonete Ka Lanches, da qual ele foi expulso e recebeu as ofensas, a pagar R$ 4.000 a Guedes. Porém, por conta da demora de três anos, o advogado do catador conseguiu que seja incluídos juros e correção monetária, que deverá dar o valor de R$ 7.000."Ele fez maldade comigo. Senti muita vergonha. Mas agora estou feliz. Vou ajuntar o dinheiro para entregar para minha mãe", disse Guedes ao site sobre o segurança do estabelecimento.O casoNo dia 1º de março de 2012, Guedes foi convidado por um publicitário a entrar para comer um salgado na lanchonete. Na ocasião, assim que entraram, eles foram informados que não poderiam permanecer no local por causa do mau cheiro do catador de lixo. Clientes que presenciaram a cena decidiram ajudar o homem à entrar com ação.