Brasil

Cozinheira é estuprada e morta por asfixia na casa dos patrões

O principal suspeito do crime, um cuidador de idosos que trabalha no mesma residência que Gilmara, foi preso na noite desta segunda-feira (3)

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Uma cozinheira de 45 anos foi assassinada na casa dos patrões na última quinta-feira (30), no Rio de Janeiro. Familiares da vítima  Gilmara dos Santos de Almeida da Silva contaram ao jornal O Dia que o laudo constatou espancamento, asfixia mecânica e estupro.

O principal suspeito do crime, um cuidador de idosos que trabalha no mesma residência que Gilmara, foi preso na noite desta segunda-feira (3).

Ao jornal O Dia, os familiares da vítima contaram ao jornal O Dia que o suspeito do crime ajudou no socorro de Gilmara. Ele foi junto com os filhos do casal de idosos (patrões da cozinheira) até o hospital.

“Quando chegamos no hospital ele estava lá, não falou com a gente, mas agia friamente e com naturalidade, mexendo no celular”, relatou um sobrinho da vítima ao jornal.

Os filhos dos patrões contaram que chegaram a acionar o Corpo de Bombeiro, mas devido a demora, resolveram levar Gilmarara por conta própria a uma unidade de saúde.

Porém, os familiares relataram ao jornal, que o Corpo de Bombeiros informou que não houve nenhum chamado para o endereço.

O crime está sendo investigado pela polícia civil e ainda não se tem conhecimento da motivação.