Brasil

'Diabão' defende 'mulher demônia' de críticas: 'Felizes'

Casal está juntos há 11 anos e já fizeram quatro faz modificações corporais

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A aparência modificada de Carol Praddo, de 35 anos, conhecida como 'mulher demônia' gerou diversas polêmicas nas redes sociais. Em entrevista ao G1, nesta segunda-feira (5), o marido dela, o também modificador e tatuador Michel Praddo, de 44 anos, chamado de 'Diabão', contou que o casal só se incomoda quando as pessoas faltam com respeito, mas que são extremamente felizes por viverem dessa forma.

“Essa galera ignorante sempre vai existir, não é? Eu tenho aprendido a ignorar, não por ser evoluído, mas porque já me causou muito mal. Me incomoda, mas não em relação ao pensamento contrário, a desaprovação ou quando a pessoa expõe seus pensamentos, mas pela falta de respeito. É ruim quando as pessoas são agressivas e te diminuem ou julgam pela aparência”, disse Diabão.

O casal mora em Praia Grande (SP), e está junto há 11 anos. Carol tem cerca de 60% do corpo tatuado, além de alterações na língua, testa, dentes e olhos. Já Diabão tem 85% da pele coberta por tatuagens e modificações com chifres e dentes alongados, além de carnificações, como remoção das orelhas e do nariz.

Conforme o 'Diabão', seu último procedimento feito o tornou o primeiro homem do Brasil a ter parte do nariz removida, e o terceiro do mundo. “Se você me perguntasse há 13 ou 14 anos, eu diria que jamais faria uma modificação no rosto. Falava que o rosto era cartão de visita, que era demais. Eu não me via chegando na modificação ou me apaixonando por modificação extrema”, declarou ele.

Segundo o tatuador, a vontade de fazer modificações extremas aumentou há mais de quatro anos e a esposa seguiu na onda do marido. Juntos, eles passaram a se identificar com o novo estilo. “Tem muita coisa que eu puxei dela e ela puxou de mim nisso. Fomos descobrindo isso juntos. Ela veio para esse mundo e se apaixonou por isso também e seguimos tendo várias experiências”, afirma.

Sobre seu relacionamento com a 'mulher demônia', o tatuador acredita que o encontro dos dois estava marcado para acontecer, devido à conexão que eles têm. Eles se conheceram em uma estúdio de tatuagem e, desde então, estão juntos. 'Diabão' conta que, quando deram início ao romance, não imaginava que ia querer ficar com Carol para o resto da vida.

”Saímos, dormimos juntos e nunca mais nos separamos. As coisas foram acontecendo, se mesclando, e hoje vemos que somos mesmo almas gêmeas. A parceria e cumplicidade dos dois no casamento se estende ao trabalho e as modificações corporais, conforme explica Diabão. “Somos muito muito parecidos, muito cúmplices”, finalizou o tatuador.