Brasil

Estocar remédios e itens de higiene não é recomendado

Segundo a entidade, as 26 redes associadas estão trabalhando com o poder público para manter o abastecimento dos itens de primeira necessidade

Agência O Globo

A Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) emitiu um comunicado recomendando que, mesmo diante do avanço do coronavírus, os consumidores não façam estoques de medicamentos e produtos de higiene. Segundo a entidade, as 26 redes associadas estão trabalhando com o poder público para manter o abastecimento dos itens de primeira necessidade, o que será um desafio ainda maior se houver estocagem de suprimentos.

Sobre a possível elevação de preços de itens como álcool em gel, máscaras ou qualquer outro tipo de material de prevenção ao Covid-19, a Abrafarma alerta à população que denuncie valores abusivos.



— Vamos enfrentar essa crise e ajudar todos seguindo as recomendações dos órgãos de saúde e, sobretudo, com bom senso e solidariedade — declarou Sergio Mena Barreto, presidente da entidade.