Brasil

Famosos lamentam incêndio no Museu Nacional, no Rio

Vários deles têm se manifestado nas redes sociais, lamentando a grande perda para a cultura brasileira

Agência O Globo
- Atualizada em

O incêndio que vem destruindo 200 anos de história do Museu Nacional, no Rio, vem causando comoção também entre os famosos. Vários deles têm se manifestado nas redes sociais, lamentando a grande perda para a cultura brasileira. Mas, além da tristeza, alguns famosos fizeram um protesto, chamando atenção pela negligência.

"Perdemos. Infinita tristeza", resumiu a atriz Nanda Costa. "Triste fim de um pedaço de todos nós", escreveu Flávio Canto, ex-atleta e hoje apresentador de TV. "Fruto da negligência e do desmonte generalizado em que estamos vivendo", posicionou-se Patricia Pillar.


O ator Armando Babaioff, da novela "Segundo sol", também fez seu desabafo: "É muito simbólico, um museu em chamas. Um museu que foi residência da família real. Um Museu que se chama Nacional. É o país sendo cremado e a nossa história virando cinzas. É um país sem preocupação com a cultura, sem memória. É revoltante e triste ver um incêndio como esses. O acervo já foi perdido, agora pelo visto vamos perder o edifício histórico. Não conseguimos apagar esse fogo. Todos nós perdemos. Todos saímos perdendo. Que tristeza".

Fruto da negligência e do desmonte generalizado em que estamos vivendo #museunacionaldoriodejaneiro #foratemer

Uma publicação compartilhada por Patricia Pillar (@patriciapillar) em

Perdemos ???? #museunacional #NossaHistóriaEmCinzas #200anosdehistoria #infinitatristeza

Uma publicação compartilhada por Nanda Costa (@nandacostareal) em

Não me lembro de ter ficado tão triste em minha vida. Malditos políticos asquerosos, que querem tirar toda e qualquer informação de nossos jovens; onde irão saber agora? Ali tinha tesouros de inestimável valor, mas para vocês políticos imbecís o que importa não são estes valores, só importa dinheiro em suas mãos. Esquecem que tem filhos e que serão IGNORANTES. Burros. Estou sentindo nojo e ódio de políticos como nunca. Muito triste ver nossa história se esvaindo por desleixo. Neste lugar vivi parte da minha adolescência, aprendi, estudei,brinquei, e agora vejo tudo indo embora para não mais voltar! Estou chorando muito de tristeza! Adeus minha história. Adeus história do Brasil. Adeus referência. ADEUS! ????

Uma publicação compartilhada por Solange Couto (@solangecouto) em

Triste fim de um pedaço de todos nós.

Uma publicação compartilhada por Flávio Canto (@flaviocanto) em

Meu Deus, tristeza para todos nós! #Repost @jornaloglobo with @get_repost ・・・ Um incêndio de grandes proporções atingiu o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, na noite deste domingo. Parte do interior do edifício desabou. Os três andares do palácio abrigam um acervo de 20 milhões de itens, incluindo documentos da época do Império; fósseis; coleções de minerais; e a maior coleção egípcia da América Latina. Trata-se da instituição científica e do museu mais antigos do Brasil, tendo em maio último completado 200 anos. A visitação média mensal é de 5 a 10 mil pessoas.⠀ ⠀ ⠀ A assessoria do Museu Nacional informou que ainda não está claro o que deu início ao incêndio, sendo necessário esperar o trabalho dos bombeiros para obter mais informações. #jornaloglobo ⠀

Uma publicação compartilhada por isis valverde (@isisvalverde) em

Nossa que tristeza ????

Uma publicação compartilhada por JoJo (@jojotodynho) em

200 anos de História do Brasil virando cinzas! ????????????

Uma publicação compartilhada por Sonia Abrão (@soniaabrao) em

Isso está acontecendo hoje no Rio de Janeiro, tragédia anunciada. Estamos entregues ao talibãs! “O Museu da Civilização Brasileira pega fogo. Acervo arqueológico, etnográfico, científico e cultural pega fogo. O Museu Nacional pega fogo. O Nacional pega fogo. Incêndio no Brasil! Quem seremos sem memória? Salvem o Patrimônio Cultural Brasileiro! Estamos assistindo a maior tragédia cultural e científica da história do país. Que as gerações futuras de brasileiros nos perdoem. Se chegarem a existir. Pega fogo na memória do Brasil. Quem seremos nós? O que nos tornamos? Quão brutos nos tornamos a ponto de odiar a memória, de vociferar contra o passado, de caçoar do que é antigo? Viram cinzas aquilo que deveria inspirar os jovens e guiar a nação. Somos a grande nação desmemoriada, vagando pelo cosmo sem saber o que fomos, o que podemos, o que sonhamos, o que desejamos. Ao longo das próximas semanas discutiremos sistemas de incêndio, má conservação de museus, prédios em ruínas. Já esquecemos o colapso do edifício Wilton Paes de Almeida em São Paulo. Já esquecemos. Tem pré-sal, tem soja, tem proteína, tem minério. Só não sabemos o que fazer com isso porque não tem memória e logo não tem desígnio. Tem que vender. Vende o que tem. Vende porque vai acabar. É uma liquidação botando fogo no país. Tá barato. Vem comprar. Não tem mais o ombro de gigantes onde nos apoiar. Nós queimamos o gigante. Não sabemos mais de onde viemos. Pra onde vamos? Não tem signo, símbolo, sentido. Só tem superfície. Tela e toque. Não tem profundidade e pensamento. Porque achatou o tempo. Só tem o agora e as cinzas. E a tábula rasa. Brasil raso e chato. Brasil pegou fogo. Nacional pegou fogo. Museu Nacional pegou fogo. Nós pegamos fogo. 02/09/2018 5 dias até a Independência” Washington Fajardo

Uma publicação compartilhada por Alessandra Negrini (@alessandranegrini) em