Brasil

Homem de 19 anos é morto por engano dentro de hospital

Gabriel Minossi estava internado após ter sofrido um acidente de trânsito, foi baleado e morto por engano por bandidos

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Um homem de 19 anos foi morto por engano dentro na madrugada desta sexta-feira (9), em Porto Alegre. Ao G1 Rio Grande do Sul, a polícia local informou que por volta das 3h15, quatro homens teriam chegado ao hospital atrás de um outro paciente, de 28 anos, que tinha sido baleado na quarta-feira (7).

O jovem Gabriel Minossi, que estava internado após ter sofrido um acidente de trânsito, foi baleado e morto por engano pelos bandidos. Além  da vítima, outras duas pessoas ficaram feridas.

A polícia divulgou imagens das câmeras de segurança que registraram o momento em os criminosos chegaram de carro ao hospital. Dois homens descem e são vistos correndo armados pelos corredores, à procura da vítima. Em entrevista ao G1, o pai de Gabriel disse que Marcelo Minossi, o alvo dos bandidos, chegou a ficar na mesma ala que Gabriel, mas na tarde de quinta-feira (8) foi transferido para outro setor porque já havia boatos de que poderia ocorrer alguma confusão.

Gabriel Minossi, de 19 anos, estava internado após sofrer um acidente de trânsito
Foto: Reprodução/Acervo Pessoal

Delegado do caso disse que o alvo dos atiradores cumpria pena no regime fechado e conseguiu progressão para o semiaberto. Como não havia vagas no regime semiaberto, ele foi solto no dia 17 de outubro. O homem seria incluído no sistema de monitoramento eletrônico e colocaria tornozeleira.

Ainda ao G1, o tenente-coronel Carlos Daniel Coelho, afirmou que além da brigada, a própria unidade de saúde também adotou medidas de proteção, ao levar paciente para um local isolado. "A segurança do hospital estava em alerta, hospital tem guarda armada, e também tem atribuição de guarnecer pacientes e seus funcionários", afirmou ao portal. 

O tenente-coronel relatou também que a Brigada executa o trabalho em toda a cidade de São Leopoldo com dois a três policiais no patrulamento nas ruas.