Música

Daniela Mercury lança clipe de Banzeiro, aposta para Carnaval

O clipe foi gravado durante três dias no Palácio Rio Branco, em Salvador

Redação Correio 24h
- Atualizada em

Aposta de Daniela Mercury para o Carnaval 2018, a música Banzeiro ganhou clipe na manhã desta sexta-feira (20). O vídeo sai duas semanas depois do lançamento do EP Tri Eletro, que conta com outras duas faixas: Samba Presidente, com participação de Márcio Victor, e Eletro Ben Dodô.   

No dicionário, banzeiro é sinônimo de agitação no mar, aquelas marolinhas provocadas por uma embarcação em deslocamento. E é nesse ritmo inquieto que Daniela pretende seguir até fevereiro. "O público está vibrando com o trabalho. O retorno que recebo das pessoas é incrível. Todos felizes com a alegria da música e celebrando esse axé que Banzeiro é", comenta a cantora, ao lembrar que tem sido muito questionada sobre o significado da palavra. "Responder para o mundo inteiro o que é banzeiro é uma troca cultural espetacular. Trazer de Belém, dialogar com a Bahia, falar pro mundo é incrível", festeja.

(Reprodução: Instagram)

Originalmente cantada por Dona Onete, a música foi dada de presente pela cantora paraense a Daniela há cerca de dois anos, que confessa ter guardado a faixa para gravar somente agora. "Acho que o talento de dona Onete, como artista e compositora merece muitas gravações. Foi assim que resolvi celebrar essa mulher adorável e juntar Belém com a Bahia", afirma a baiana. 

(Reprodução: Instagram)
A versão de Daniela, além do ritmo do axé, ganhou auxílio dos atores da Cia Baiana de Patifaria. "Ter o coro e as falas dos atores da companhia na música e no videoclipe são uma novidade na minha carreira: uma mistura de música e teatro, um sonho!", diz. Segundo ela, o talento dos atores da companhia dá o tom do trabalho e também inspirou o "espírito livre, engraçado e muito alegre da interpretação e do conceito do videoclipe".

Filmado com qualidade de cinema por uma equipe de profissionais baianos, o clipe foi gravado durante três dias no Palácio Rio Branco, com dezenas de bailarinos e muita troca de figurino. “A base é o humor e a dança. Queria unir todas as tribos, todas as cores. É um clipe luminoso , vibrante e engraçado, como a música”, adianta Daniela, que além de ter feito várias sequências coreográficas de dança moderna, dirigiu as movimentações do elenco. 

(Reprodução: Instagram)
"No Palácio Rio Branco, o balé clássico combinava com o lugar e o meu solo de dança moderna criava o contraste. Tem personagem todo pintado de azul, um artista maravilhoso chamado Shankar, com inspiração indiana, que solta fogo pela boca e cria um clima de conto de fadas que todo palácio tem. O interessante é que o clipe mistura o futuro com o passado, a realidade com a fantasia. E tudo nele dança no ritmo de Banzeiro", conta. 

Gravado  em três dias, a pré-produção do trabalho durou mais de um mês. "Quarenta dias muito intensos, desde a manhã até a madrugada. As gravações foram feitas em três dias infinitos, pois foram gravações de mais de 16 horas seguidas por dia", lembra Daniela.

Agora, ela espera ansiosa a resposta do público via redes sociais, onde tem atuado com mais intensidade nos últimos tempos. "As redes sociais são incríveis para gente dialogar, divulgar o trabalho artístico, ter uma dimensão da ressonância desse trabalho nas pessoas, no coração, na compreensão delas. Isso é muito bom porque cria uma relação que a gente nunca teve. Antes, eu costumava dizer que queria ser uma mosquinha para ouvir e saber o que as pessoas diziam. Com as redes sociais a gente pode ser essa mosquinha", comemora.