Literatura

Dicas para novos escritores: como publicar um livro na Bahia

Profissionais dão dicas sobre publicação e divulgação de originais e falam sobre as dificuldades encontradas pelos autores baianos

Marília Galvão (marilia.galvao@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Na semana em que se comemora o Dia Nacional do Escritor (25 de julho) o iBahia vem publicando uma série de matérias sobre literatura baiana.

Quem pretende publicar um livro na Bahia hoje, tem bons motivos para se animar. Existem diversos programas para o jovem escritor inscrever seus originais. Os interessados podem procurar a Fundação Pedro Calmon (Secult), a Academia de Letras da Bahia, programas da Petrobras, publicar artigos e poemas em Coletâneas e Antologias por meio de selos como o CEPA e o Selo Editorial Òmnira, além de inscrever projetos em editais apoiados Fundo de Cultura da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

Dicas de profissionais

Uma boa dica para quem pretende publicar um livro é se informar e procurar sites que prestam este serviço. Através do site Clube de Autores (http://www.clubedeautores.com.br/), todo e qualquer usuário pode adquirir o produto via comércio eletrônico.
Renata Rimet é escritora e organizadora do projeto Fala Escritor
Quando o livro é comprado, o pedido vai diretamente para a gráfica, que imprime, dá o acabamento final e despacha para o comprador. A partir daí, o autor recebe os direitos autorais após acumular um montante mínimo de R$ 300.

A escritora baiana Renata Rimet, diz que além do Clube de Autores, os jovens escritores têm a opção de publicar qualquer obra em contato direto com editoras, através dos sites oficiais. "Assim, a gente evita a terceirização de serviços que, muitas vezes,  encarecem o sonho do autor", afirma.

Para quem quer seguir uma linha independente, o melhor caminho, de acordo com o escritor Roberto Leal, é trabalhar o nome do autor no mercado e distribuir sua obra em uma vendagem boca a boca, para evitar que os livros fiquem empacotados. "Para distribuição, o escritor precisa trabalhar para a divulgação do seu trabalho. Não adianta lançar um livro, sem que esse escritor não tenha trabalhado o seu nome. Do contrário, estará condenado a vender livro para os amigos parentes, colegas da faculdade e vizinhos", recomenda.


Mercado Baiano
Roberto Leal é poeta e vice-coordenador da União Brasileira de Escritore
Leal ressalta que o mercado editorial baiano segue o caminho que lhe é oferecido pelo sistema. Segundo ele, o mercado evoluiu através dos editais públicos e dos prêmios literários, mas a escassez de recursos para tantas promessas e talentos ainda é grande na Bahia, onde há uma crescente produção literária sem publicação.

Ainda de acordo com Roberto, o maior obstáculo para o jovem escritor baiano é conseguir publicar. Isso acontece, porque eles dispõem apenas de três opções para publicar seus originais: "a primeira é a participação nos editais do estado (FPC/Secretaria de Cultura). A segunda é a participação em prêmios que oferecem a publicação como estímulo, e a terceira em uma publicação independente, fazendo investimento particular. Do contrário, jamais tirará seus originais da gaveta".

 
Política cultural e incentivos no Brasil

As Antologias da Câmara Brasileira de Jovens Escritores, que são uma válvula de escape para escritores, tem por objetivo registrar (em livros impressos) o momento atual da Literatura Nacional. É um projeto aberto a todos os autores brasileiros e portugueses, natos ou naturalizados, que queiram registrar seu nome nesse painel histórico e ter uma obra de sua autoria (poesia, conto, etc.) publicada em livro. Não há restrição quanto à idade, sexo, raça ou credo religioso ou político.

Oportunidade

Para participar, o autor deve enviar por e-mail, através deste link, uma obra de sua autoria (poesia, conto etc.), inédita ou não, com no máximo 30 linhas (poesias) ou 6.000 caracteres (contos/crônicas) precedidos do título ou, na ausência deste, mencionando "sem título".

Cada autor pode participar nas diversas seletivas do mês, simultaneamente, enviando cada obra separadamente (apenas uma obra por categoria), em cada e-mail. A inscrição é gratuita, o escritor pagará somente pelos exemplares (livros impressos) que adquirir.

A partir daí, a Comissão de Avaliação da CBJE, analisará a qualidade da obra e a pertinência de sua publicação e disponibilizará no site, periodicamente durante as seletivas, as listas dos autores selecionados. A decisão da Comissão de Avaliação é soberana e irrecorrível.

As obras selecionadas ficarão disponíveis nas Antologias On Line (nome do autor na cor laranja) a partir do momento que o autor adquire exemplares da antologia em questão. Ao aceitar nosso Regulamento, o autor autoriza a publicação do poema inscrito nas Antologias (On Line e Impressa) da qual participa e, no caso de também ser selecionado, na edição especial do Panorama Literário Brasileiro, publicado ao final de cada ano.

Outra opção é o PNLL (Plano Nacional do Livro e Leitura), que oferece apoio a novos escritores, defende os direitos autorais, abona apoio às publicações para novos autores, investem em traduções, mantém premiações e bolsas de incentivo para novos escritores.

Notícias relacionadas:

Morre aos 92 anos João Falcão, fundador do Jornal da Bahia Top 10: Grandes escritores baianosBiblioteca de Itaparica realiza exposição de autores contemporâneosProfessores de Jacobina lançam livro sobre culturas urbanas no sertãoObra reúne contos inéditos de autores brasileiros do início do século XXIEntrevista: escritor Roberto Leal fala sobre o mercado editorial na BahiaAtividades na Biblioteca Anísio Teixeira celebram o Dia Nacional do Escritor
Dia do Escritor: João Ubaldo Ribeiro, o novo imortal baiano