Economia

Diferença de preços nos itens da ceia pronta chega a 550%

Especialistas aconselham que consumidor se certifique da qualidade dos produtos antes de fechar a compra

Agência O Globo

Para quem não quer passar o Natal na cozinha, uma opção é encomendar a ceia em restaurantes e até com cozinheiros e pequenos empreendedores. Mas é preciso pesquisar para encontrar o melhor preço: a diferença de valores entre os pratos típicos pode chegar a 550%, segundo uma pesquisa feita pelo EXTRA.

Foto: Divulgação

É o caso do arroz com lentilha. As opções caseiras anunciadas no Facebook e em sites como OLX, por exemplo, têm valores que variam de R$ 20 a R$ 80. Já no restaurante Delírio Tropical, a guarnição sai a R$ 130. As rabanadas, por sua vez, têm uma diferença de 488%: custam entre R$ 1,70 e R$ 4 a unidade nos empreendimentos caseiros, e chegam a sair por R$ 10, na Confeitaria Colombo.

Apesar dos preços tentadores das opções oferecidas nas redes sociais, o professor de direito civil da Ibmec/RJ João Quinelato alerta que o consumidor deve se certificar de que há uma mínima organização empresarial no fornecimento desses alimentos:

— Não há problema algum que a venda seja feita por esses novos canais, mas o consumidor deve ficar atento. Ele pode, inclusive, pedir para visitar o local ou fazer degustação dos produtos. O fornecedor é obrigado a franquear o acesso do consumidor à cozinha, assim como em estabelecimentos comerciais.

Segundo Quinelato, o ideal é que o microempresário tenha alvará, mesmo que cozinhe os alimentos em casa.

Coordenadora de atendimento do Procon RJ, Soraia Panella também aconselha que o consumidor se certifique da qualidade dos produtos antes de fechar a compra.

— Relações informais são sempre mais complexas de buscar uma reparação, caso algo dê errado. Por isso, o ideal é buscar um fornecedor que já tenha indicação e que esteja acostumado a fazer esse tipo de venda. E, se possível, que emita nota fiscal.