Eleições 2018

Em entrevista ao JN, Ciro diz que Lula não é 'satanás nem anjo'

Questionado sobre a mudança de tom em relação ao PT e a Lula, de quem era aliado e passou a ser crítico, Ciro disse que, na sua opinião, Lula foi um bom presidente

Agência O Globo
- Atualizada em

Embora tenha dito que apoia a operação de combate à corrupção, o candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, criticou ontem, em entrevista ao Jornal Nacional, a operação Lava-Jato e supostos excessos do Judiciário e do Ministério Público. Ex-ministro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidenciável disse ainda que, para ele, o petista não é “satanás” nem “anjo”.

— Eu apoio a Lava-Jato, porque ela é uma virada de página na crônica de impunidade que sempre foi o prêmio para a corrupção dos grandes no Brasil. Entretanto, a Lava-Jato só prestará bom serviço ao Brasil se for vista pela maioria ou pelo conjunto da sociedade como uma coisa equilibrada. Do lado do PSDB, não tem nenhum na cadeia — afirmou Ciro, que foi o primeiro candidato a presidente a ser entrevistado pelo JN.

O candidato afirmou ainda que o Ministério Público muitas vezes extrapola suas funções, “destrói reputações” e que o Judiciário aproveitaria a “desmoralização” dos poderes Executivo e Legislativo para fazer política.

Foto: Reprodução

Questionado sobre a mudança de tom em relação ao PT e a Lula, de quem era aliado e passou a ser crítico, Ciro disse que, na sua opinião, Lula foi um bom presidente:

— Para mim, o Lula não é um satanás, como certos setores da imprensa e da opinião pública pensam. E também não é um deus, um anjo, como certos setores metidos a religiosos do PT pensam. (...) O Lula foi um bom presidente para o Brasil e o povo brasileiro sabe disso