Educação

Reitor da Ufba afirma que universidade não tem como pagar dívidas

João Carlos Salles concedeu coletiva e convocou sociedade para ato público

Redação (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Na manhã desta quinta-feira (21), João Carlos Salles, reitor da Universidade Federal da Bahia, reuniu a imprensa para convocar a sociedade civil e a comunidade acadêmica para um ato público. A ideia dele é pressionar o governo federal após a crise de R$ 28 milhões ter gerado ajustes que agravaram os problemas na universidade.Salles destacou que o evento é um convite a todos os segmentos da comunidade acadêmica – docentes, estudantes e servidores –, além de representantes de vários setores da sociedade baiana, tais como autoridades dos governos estadual e municipal, parlamentares e diversos políticos. O reitor afirmou ainda que o evento mostra a independência da UFBA, que é uma instituição de ensino superior autônoma num momento de resistência.


Por conta disso, ainda segundo Salles, a Universidade não pode sofrer cortes orçamentários tão drásticos a ponto de ter a qualidade de seus serviços comprometida. Apesar de confirmar que os pagamentos de energia elétrica e fornecedores estão atrasados, o reitor garantiu que os benefícios estudantis continuam sendo mantidos. "A Educação pública de qualidade é nossa bandeira maior. A Universidade pública, gratuita, inclusiva, capaz de aprofundar a assistência estudantil e as ações afirmativas, vanguarda de pesquisa, ensino e extensão é nossa luta cotidiana", disse ele.O evento 'Ato Público em Defesa da Educação e da Universidade Pública', convocado por João Carlos Salles, foi marcado para a segunda-feira (25), às 9h30, na Reitoria da Ufba, no bairro do Canela. Na programação do evento, haverá intervenções artísticas e espaço aberto para manifestações diversas.