E. C. Bahia

Sem FGTS, justiça rescinde o contrato de Alef; outros devem sair

Lateral-direito da base do Bahia, assim como outros jogadores, acionaram o clube por conta do não pagamento do FGTS

Editoria Esportes (esportes@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
Alef era tido como joia da divisão de base tricolor

O lateral Alef, jogador das divisões de base do Bahia e da Seleção, não defende mais o time tricolor. O pedido dos advogados dele foi deferido pela justiça e o distrato ocorreu porque o clube não estava recolhendo o FGTS do jogador. Por conta disso, os representantes de Alef resolveram acionar o Bahia na justiça.


Numa tentativa de manter o jogador, a direção do Bahia fez o depósito do FGTS após a notificação, mas ainda assim o juiz trabalhista Paulo Viana de Albuquerque considerou o descumprimento de norma trabalhista e promoveu a rescisão de contrato indireta. Isto quer dizer que Alef deixa o Bahia sem qualquer pagamento de multa. Assim, ele está livre para negociar com qualquer outra agremiação.


Lateral das divisões de base do Bahia, Alef vem sendo convocado para a seleção desde a sub-14. Com a sub-15, foi campeão sul-americano. Ele é tido como o jogador com melhor potencial dentro das divisões de base do Bahia. Outros jogadores da divisão de base do Bahia, que alegam não ter o FGTS, estão adotando o mesmo caminho: são eles o meia Ítalo Melo, o zagueiro Maracás, e o meia Guilherme. De time principal, o volante Anderson Talista e o lateral Madson também estão dispostos a acionar o clube na justiça.


O artigo 31 da Lei Pelé (Lei 9.615) prevê que a entidade empregadora que estiver com pagamento de salário de atleta profissional em atraso, no todo ou em parte, por período igual ou superior a três meses, terá o contrato rescindido. Já o parágrafo 2º do artigo diz que o dispositivo será considerado também pelo não recolhimento do FGTS e das contribuições previdenciárias. No início do ano passado, o Bahia perdeu o lateral Mansur pelo mesmo motivo. Hoje ele defende o Vitória.