E. C. Bahia

Carpegiani promete 'lutar até o final' por vaga na Libertadores

Técnico tricolor mantém viva a esperança de se classificar para competição Sul-Americana

Bruno Queiroz, Correio 24 horas (bruno.queiroz@redebahia.com.br)

A derrota em Recife, além de interromper uma série invicta de seis partidas, deixou o Bahia em situação um pouco mais complicada na busca por uma vaga na Libertadores. A distância para o G7, que era de dois pontos, aumentou para três, mas para o técnico Paulo Cézar Carpegiani, a equipe ainda está viva na briga.

"Nós temos dois jogos ainda, temos a obrigação de ganhar o próximo jogo e fazer o último como se fosse uma decisão. Temos retorno importante do Renê, Edson tá retornando, jogou um bom jogo, mas o Renê vem numa sequência. Vamos lutar até o final e contamos com o apoio da nossa torcida", afirmou.

O técnico tricolor também falou sobre a atuação do time, que para ele, esteve abaixo no primeiro tempo. "É uma coisa que temos iniciado os jogos já há algum tempo dessa forma. Precisa tomar o gol para tentar reverter? Tem que entrar com tudo, não esperar tomar o gol. É um amadurecimento da equipe. Com a sequência de jogos, a cobrança, é que a equipe amanhã vai ter um belo futebol", pontuou.

Para Hernane, que entrou no final do segundo-tempo, a vantagem que o Sport adquiriu com o gol de Marquinhos foi crucial na partida. "A gente sabia que, se o time deles fizesse o gol, eles iam fechar a casinha, porque a pressão era do lado de lá, e foi o que aconteceu. Conseguiram o gol, marcaram bem, não conseguimos furar o bloqueio deles, mas a nossa posição foi boa, conseguimos impor nosso ritmo, jogar no campo do adversário. Infelizmente, não conseguimos o gol", lamentou o Brocador.

No segundo-tempo, quando Zé Rafael sofreu falta na entrada da área, Jean foi para a segunda cobrança na partida. O goleiro tricolor caprichou e mandou por cima da barreira, mas a bola bateu no travessão. "Estou chegando perto, infelizmente bateu na trave. É continuar treinando para sair o primeiro gol. Quando tem 1% de chance, há 99% de fé. Vamos correr atrás da Libertadores", disse o camisa 1.

No primeiro tempo ele já havia tido uma chance, mas a bola explodiu na trave. Para Carpegiani, a tendência é que ele evolua a cada cobrança. "Aquele nervosismo de bater as primeiras faltas, acho que já passou. Ele bate muito bem, tem muita capacidade e é por isso que eu autorizo e quero que ele bata".   

A delegação volta à Salvador na manhã de hoje, mas o elenco só se reapresenta na quarta-feira à tarde, no Fazendão. Carpegiani terá o retorno de Renê Júnior e pode ter também a volta de Lucas Fonseca.