E. C. Vitória

Vitória terá orçamento de R$ 16 milhões para iniciar 2018

Ricardo David admite cenário preocupante para montar time do Leão

Vitor Villar e Fernanda Varela

A animação ao ser eleito para ocupar a presidência do Vitória já está em segundo plano. Agora, com a mão na massa para estruturar o rubro-negro, Ricardo David começa a enfrentar os primeiros problemas.

Na reunião realizada na noite da última quarta-feira (27), o Conselho Deliberativo do Leão aprovou um orçamento emergencial para os dois primeiros meses de 2018. Ricardo David terá R$ 16 milhões para trabalhar em janeiro e fevereiro.

Eleitos no dia 13 de dezembro, o presidente e o seu vice, Francisco Salles, alegaram ter tido pouco tempo à frente do clube para tomar ciência da real situação financeira e elaborar um orçamento para 2018. Sendo assim, ficou decidido que a proposta elaborada pela gestão de Ricardo David será apresentada em uma reunião no dia 21 de fevereiro.

Na reunião, a única proposta de orçamento apresentada foi rejeitada pelos conselheiros. Ela visava arrecadar R$ 94 milhões em 2018, valor 20% maior que o orçamento de 2017, que foi de R$ 77.928.763. A proposta havia sido elaborada por Marcos Chiarastelli, diretor-geral na gestão do presidente interino Agenor Gordilho e que deixou o clube após a eleição do novo presidente.

Ricardo David admitiu surpresa com o cenário que enfrentará e com a baixa verba disponível para contratações. "Não faz nenhum sentido dizer sobre o Vitória de 2018 sem deixar pelo menos uma notícia do que foi o Vitória em 2017. O Vitória de 2018 é completamente consequência do que ocorreu até agora. A situação é muito crítica. A gente precisa estar juntos. Não tem outro caminho. Ou a gente dá as mãos, ou não vamos sair da situação que o Vitória chegou", afirmou o presidente.

Segundo relatório do Conselho Fiscal, no primeiro semestre do ano, o Vitória ultrapassou o orçamento em R$ 10 milhões, sendo R$ 5 milhões apenas com salários. Em setembro, a despesa com o futebol já era R$ 30 milhões acima do orçado.

'Se eu fosse jogador, pensaria duas vezes antes de vir'
Na própria reunião, o presidente citou que tem enfrentado dificuldade para renovar com um importante atleta do elenco, sem citar o nome do jogador. "Importante passar para vocês o que estamos vivendo. Temos um atleta que temos todo o interesse na renovação, tivemos três reuniões exaustivas para renovar contrato. Mas sabem qual o ponto que não está batendo e que talvez não seja possível? É que ele sabe quanto todos os atletas do Vitória ganham. Ele tem esse número. Não tem jeito. Ele diz o seguinte: 'Não é possível que fulano ganhe menos que cicrano'. Possivelmente não vamos conseguir fazer essa renovação. As bases que ele está pedindo, seria irresponsável. E essa gestão não é irresponsável. Vamos mostrar alguns números. Eu, particularmente, se eu fosse jogador de futebol e estivesse do lado de fora, pensaria duas vezes antes de vir para o Vitória. É a verdade", confessou David, criticado por alguns torcedores após a declaração.

Embora não tenha citado o nome do atleta, um que se encaixa nessa situação de dificuldade para renovar o vínculo com o rubro-negro é o zagueiro Kanu. "A negociação está parada. Estou aguardando o Vitória dar um retorno. Eles não deram nenhum retorno ainda, nem sei se vamos ter um desfecho este ano. Eu fiz uma proposta, eles fizeram contraproposta. Fiz nova proposta e eles, nova contraproposta. Aí fiz mais uma e eles ficaram de avaliar", explica o empresário do jogador, Otacílio Lima, em entrevista ao CORREIO.

De acordo com Ricardo David, um dos motivos para que as negociações estejam travadas é o vazamento da planilha salarial dos atletas durante o ano, que expôs os dados de todo o elenco. Até o momento, o único jogador que já acertou a renovação foi o volante Uillian Correia, que rescindiu com o Cruzeiro e assinou com o Vitória até dezembro de 2019.