Empregos

147 mil vagas temporárias serão criadas até dezembro, diz Asserttem

O Nordeste deve contratar cerca de 20% desse total

Redação iBahia
- Atualizada em

O fim de ano se aproxima e para muita gente a data é sinônimo de oportunidade. Em 2011, estão previstas, até dezembro, a abertura de 147 mil vagas, 5% a mais do que o ano passado.  Os dados da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem) apontam que quase 30% desse total serão preenchidas por jovens em busca do primeiro emprego.  


De acordo com Vander Morales, presidente da Asserttem, 29% dos contratos poderão ser efetivados, significando emprego fixo e formal para 42 mil brasileiros. “A expectativa é que tenhamos 9% mais efetivações do que no Natal passado. O aumento da renda e, até o momento, a estabilidade da economia justificam esse crescimento do setor”, diz.


Com a liberação do 13º salário aos trabalhadores, a indústria e o comércio devem ser aquecidos pelo consumo. "O poder de consumo das famílias tende a aumentar nesta época do ano. Deverão ser injetados cerca de R$ 110 bilhões na economia".


Comércio
Cerca de 70% tende a ser feita pelo comércio. Os candidatos com idades entre 18 e 39 anos têm mais chance de conseguir vaga: 65% dos postos de trabalho deverão ser ocupados por pessoas nessa faixa etária. Os segmentos de supermercado, vestuário, calçados, eletrodomésticos e perfumaria são os que mais demandam mão de obra adicional.


As principais funções são analista de crédito, atendimento, crediário, embalador, estoquista, etiquetador, fiscal de caixa, fiscal de loja, operador de telemarketing, promotor de vendas, repositor, vendedor e Papai Noel.


De acordo com Jismália de Oliveira Alves, diretora de Comunicação da Asserttem, em geral, as vagas exigem do candidato o primeiro grau completo, simpatia, facilidade de comunicação e para o trabalho em equipe. “A remuneração média será 9,5% maior em relação a 2010, ficando entre R$ 690 e R$ 996, com direito a benefícios como vale-transporte e vale-refeição", afirma.


Geração de emprego no Nordeste

A criação de novos postos temporários deve beneficiar quase 30 mil nordestinos. A região é a segunda coloca na geração de empregos, ficando atrás apenas do Sudeste com 75.264 vagas. Em seguida, aparecem o Centro-Oeste e Norte, com 9.379 e 7.071, respectivamente.


Indústria
Respondendo por 30% das contratações temporárias, as principais empregadoras serão as indústrias de bens de consumo, como alimentos, bebidas, brinquedos, eletrônicos, vestuário e papel. A maioria dos trabalhadores contratados (70%) terá até 39 anos. O sexo feminino deverá ocupar 35% das vagas abertas.


Entre as principais funções estão auxiliar administrativo, auxiliar financeiro, auxiliar de laboratório, auxiliar de serviços gerais, motorista, nutricionista, operador de empilhadeira, operador de máquinas, técnico em manutenção industrial e técnico em segurança do trabalho.


A remuneração média deve apresentar aumento de 16% em comparação com 2010 e pode variar entre R$ 920 e R$ 1,3 mil. A maioria das contratantes pode exigir o segundo grau completo. “O diferencial ficará por conta da qualificação técnica do candidato em áreas como automação industrial, eletrotécnica, mecatrônica, química, informática, segurança do trabalho, administração e secretariado”, diz Jismália.


O estudo foi encomendado pela Asserttem ao Instituto de Pesquisa Manager (Ipema) e contempla apenas os contratos temporários firmados de acordo com a Lei 6.019/74, excluindo estagiários, terceirizados e contratos informais.


Veja abaixo a previsão de contratações por setores:


Setor Efetivação   Primeiro emprego
Shoppings 35%          30%
Supermercados e Afins 20%          23%
Lojas de Departamentos 30%          29%
Varejo 30%          30%
Média 29%          28%


*Com informações do G1